“A nossa cultura é uma coisa só”, diz Ary Kueka sobre novo álbum Sampadiu

No passado dia 11 de junho, o músico santantonense Ary Kueka lançou o seu primeiro álbum – Sampadiu, um trabalho onde fez questão de trazer as mais diversas sonoridades do arquipélago. “Afinal a nossa cultura é uma coisa só”, defende Ary em entrevista ao Balai.

“Não imaginava que fosse assim”, confessa Ary Kueka sobre a receção do primeiro trabalho discográfico junto do público.

 

No total 12 temas compõem o álbum, alguns escritos há cerca de um ano, outros há mais de uma década, segundo Ary. “É a minha vivência nestas ilhas de Cabo Verde é que está nesses temas”.

 

E em qualquer um dos recantos de Cabo Verde onde viveu, Ary diz sentir-se em casa e identificar-se com os ritmos e melodias típicos de cada ilha, daí não se rever no debate bairrista que tantas vezes surge à volta dos géneros mais associados a determinadas ilhas.

 

E foi justamente esta ideia que motivou o título que deu ao álbum que lançou no mercado no passado dia 11 de junho: Sampadiu.

 

“Para mim, a nossa cultura é uma coisa só”, defende o compositor e artista que é natural de Santo Antão e viveu alguns anos na Praia, onde fez questão de ouvir e tocar a música da ilha de Santiago.

 

Sampadiu que foi produzido pelo produtor e músico mindelense Khaly Angel traz ao público uma mistura de estilos e ritmos como tabanca, morna e funaná.

 

O tema de estreia para apresentar este trabalho foi “Reçicla” que fala sobre a necessidade de se reciclar não apenas o material, o plástico, mas sim o imaterial. “Precisamos de reciclar o amor”.

 

Ainda não tem datas marcadas, mas garante que assim que seja possível quer levar o Sampadiu em tournée pelas ilhas, principalmente tendo em conta a mensagem que quer transmitir com álbum.

 

Entrevista completa no vídeo em cima.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest