Festival Mindelact terá participação de 200 artistas e 40 apresentações

Cerca de 200 artistas, de 14 países, vão actuar em 40 apresentações da 27ª edição do Festival Internacional de Teatro do Mindelo (Mindelact), que acontece de 05 a 13 de Novembro nas cidades do Mindelo e da Praia.

Esta informação foi avançada hoje, em conferência de imprensa no Mindelo, pelo presidente da direcção da Associação Mindelact, João Branco, que afirmou que haverá uma “forte presença” de companhias do continente africano, das quais destacam-se de Togo e da África do Sul, que se estreiam no festival.

Segundo o responsável, o festival terá duas estreias mundiais, incluindo uma na Praia que presta homenagem a Amílcar Cabral que, justificou, “foi aquele que ensinou a materializar a esperança”.

“Marcaremos o 30º aniversário da icónica companhia de dança Raiz di Polon, que apresenta, nesta edição, uma reinterpretação da peça divisora de águas CV Matrix 25. Teremos artistas vindos de 14 países e de várias ilhas, representando um amplo leque de linguagens em que se sobressaem a inovação, a contemporaneidade e o carácter experimental de muitas propostas”, afirmou.

Segundo João Branco, todas essas propostas partilham uma missão “de abrir mentes, iniciar debates sobre temas importantes da actualidade, despoletar a transformação e reflexão sobre mentalidades” que, defendeu, são “ingredientes indispensáveis na operacionalização da esperança”.

Também adiantou que será retomada a extensão do festival na cidade da Praia, que terá três palcos para apresentações.

Segundo João Branco, nesta edição, a maior parte dos espectáculos serão presenciais, pelo que as salas serão ocupadas a 100 por cento (%). A entrada nas salas para os espectáculos do Palco 01 (Centro Cultural do Mindelo) e do Palco 02 (Academia Livre das Artes Integradas do Mindelo-ALAIM) dependerá da apresentação do certificado de vacinação ou teste negativo de covid-19.

Haverá duas componentes não presenciais como o teatro radiofónico e o teatro digital, este que foi incluído nas programações do festival no ano passado.

No entanto, foram suspensos o Teatro na Praça e o Festival Off porque, segundo João Branco, em ambas as actividades “não se consegue controlar a concentração de pessoas”.

A direcção da Associação Artística e Cultural Mindelact decidiu, por unanimidade, que a 27ª edição do festival será dedicada à memória de Samira Pereira, activista cultural e colaboradora durante anos do Mindelact e que faleceu este ano, vítima de covid-19.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest