Ary Kueka conquista quatro prémios na gala da Sociedade Cabo-verdiana de Música

O cantor e compositor santantonense Ary Kueka venceu quatro galardões na primeira edição dos Prémios da Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM) na gala musical Noite de Autores que aconteceu esta sexta-feira, na cidade do Mindelo.

Nesta gala, organizada pela SCM, que em simultâneo celebrava o Dia Mundial do Direito de Autores e distinguia os membros da sociedade, Ary Kueka, que laçou o seu primeiro álbum “Sampadiu” no mês de Junho de 2021 levou o título de “Melhor Produtor Fonográfico”, “Melhor Intérprete”, “Melhor Autor” e “Melhor Compositor”, com a música “Escravatura Moderna”, todos na categoria de “Música Urbana e Moderna”.

O artista dedicou os prémios aos filhos. “Para quem me conhece sabe que o meu passado é que me fez chegar até aqui. Isto é para que os meus filhos tenham orgulho de mim”, revelou Aru Kueka após receber o prémio de “Melhor Autor” das mãos do Presidente da República, José Maria Neves.

O chefe de Estado, por sua vez, aproveitou para salientar a importância de reconhecer e proteger os direitos do autor em Cabo Verde.

“Este é um grande momento para Cabo Verde, para São Vicente e, por isso, peço uma salva de palmas para a Sociedade Cabo-verdiana de Música e para todos os artistas e músicos cabo-verdianos”, destacou o PR.

O jovem Khaly Angel venceu o troféu de “Melhor Arranjador” na categoria de Música Urbana e Moderna e considerou que o prémio “é um incentivo” para continuar a fazer o que gosta.

A “Melhor Intérprete” da categoria “Música Tradicional e Clássica” foi para Diva Barros” com o tema “Amdjer Coque e Bafa”, do seu recente álbum “Um bem dum Cavaquim”.

Ainda, distinguiram Djim Djob com o prémio de “Melhor Arranjador de Música Tradicional Clássica”, Daniel Neves o “Melhor Autor de Música Tradicional Clássica”, Luis Morais foi distinguido “Compositor de Melhor Música Tradicional e Clássica” e Calu Monteiro o “Melhor Arranjador na Música Tradicional Clássica”.

Foram também entregues os galardões de “Melhor Utilizador Guardião”, este subdividido em três subcategorias para distinguir as entidades que pagam os direitos autorais.  O laureado na subcategoria “Utilizador Guardião Permanente” foi para Oásis Atlântico Hotel Porto Grande, o vencedor do “Utilizador Guardião Pontual” foi a Insulada e a produtora Harmonia foi galardoada na subcategoria de “Utilizador Guardião Digital”.

O Prémio Carreira foi para o compositor Antero Simas, este que segundo a presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Música, Solange Cesarovna, foi eleito por “aclamação e unanimidade “durante a assembleia-geral, ocorrida no passado dia 12 de Abril.

A gala que teve momentos musicais protagonizados por uma quinzena de artistas cabo-verdianos foi encerrada com o convidado surpresa Mirri Lobo que interpretou o tema “Doce Guerra”, de Antero Simas.

Iniciativa aprovada em 2021, a primeira edição do Prémio SCM prestigia e reconhece os membros da família desta organização de gestão colectiva no sector musical cabo-verdiano, residente e na diáspora, bem como os parceiros ‘copyright friendly’, que “respeitam os direitos autorais de forma exemplar”.

O prémio promove, ainda, os artistas que dão importância aos direitos autorais, do pagamento e da profissão de artista nas obras lançadas entre 01 de Janeiro a 31 de Dezembro.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest