Cidade da Praia: Grupos com altas expectativas para Carnaval 2024

No total, os cinco grupos prometem levar mais de 1500 figurantes para o desfile da próxima terça-feira, dia 13.

Os grupos oficiais do carnaval da Cidade da Praia estão na “correria” para os últimos preparativos para a festa deste ano. Mesmo com atrasos nas verbas, os cinco grupos prometem animar a Avenida Cidade de Lisboa e entregar o melhor carnaval de sempre com muita alegria, música e dança.

Vindos d’África, Samba Jó, Vindos do Mar, Deusa do Amor Sem Fronteiras e Bloco Afro Abel Djassi são os grupos que vão desfilar nesta terça-feira, 13 de fevereiro, na Avenida Cidade de Lisboa, a partir das 16 horas.

José Gomes ‘Breu’, representante do grupo Vindos d’África, relatou ao Balai que os preparativos estão a decorrer normalmente. ”Já estávamos preparados há muito para comemorar a festa do carnaval deste ano”.

O mesmo adiantou que em relação ao subsídio oferecido este chegou muito tarde para começar os primeiros preparativos, “a primeira parte foi atribuída no dia 15 de janeiro, num valor de 500 mil escudos”. Apesar de afirmar estar ciente de que a Câmara Municipal da Praia tem outras prioridades, Breu defende que o valor disponibilizado nem sempre dá para cobrir todos os custos devido à subida dos preços dos produtos nos últimos tempos.

Vindos d’África, que já acumulou vários títulos de vencedor do carnaval da Cidade da Praia antes da pandemia do covid 19, mas afirmou que esse ano as expectativas são de fazer cada vez melhor, mas que o objetivo do grupo não é trazer “títulos” para casa. “O nosso foco é na criação de condições financeiras, para elevar o carnaval da Cidade da Praia a um patamar mais alto”.

Quanto ao tema escolhido pelo grupo vai ser “Corda Cabo Verde” e é uma homenagem a Sportinho, um dos moradores do bairro e fundadores do Vindos d’África.

“Este ano estamos a homenagear Sportinho, que é uma pessoa que contribuiu muito para o grupo e ao mesmo tempo para a história e cultura de Cabo Verde”, afirmou o presidente do grupo.

O mesmo finalizou que a escolha do tema tem outra vertente, que é alertar a sociedade que Cabo Verde é um povo com uma identidade. “O objectivo é acordar Cabo Verde para a nossa identidade, mostrando que somos muito além do que aquilo que almejamos”.

O grupo Samba Jó, liderado por João ‘Jó’ Reis, contou que apesar dos atrasos na confirmação da realização do carnaval por parte da Câmara Municipal e da demora da entrega do subsídio, o grupo já tinha o projeto feito para comemorar o Carnaval de 2024.

“Recebemos o mesmo subsídio do ano passado, apenas o ministério da Cultura que aumentou 50 mil escudos”.

“Porton di nós ilha, abraça bu comunidade sem máscara” é o lema escolhido pelo grupo este ano. “A escolha do tema tem como objetivo sensibilizar as pessoas para valorizar mais a cultura cabo-verdiana, mostrando tudo aquilo que temos”, diz Jó.

O representante do grupo Samba Jó afirma que vão sair com 400 figurantes e com a expectativa de levar muita folia para a avenida, brincadeiras, retratos de paz e amor, sem esquecer que se trata de um concurso. “Mas a nossa maior expectativa é de ir brincar com o povo”.

Já a representante do grupo Vindo do Mar, Amélia Rosa, relatou que o grupo está atrasado comparativamente com o ano passado, devido à demora na distribuição das verbas, mas que o valor atribuído é melhor do que nos outros anos, sendo que na mesma não é suficiente para cobrir todos os gastos devido à subida de preços dos produtos. “O nosso objetivo é apresentar um trabalho de qualidade, então queríamos que houvesse mais patrocínios”.

O grupo irá sair na avenida com o tema “Mitologia do Mar”. “O tema vai apresentar o dia a dia e da nossa comunidade, estamos rodeados de pescadores e peixeiras e o mar é uma rede de sustentabilidade para algumas famílias”.

A representante do grupo diz que este ano tem 400 figurantes, divididos em 8 alas, com expectativas de apresentar um trabalho melhor do que em 2023 e vencer o carnaval de 2024.

“Este ano começamos os preparativos bem cedo e já estamos na reta final”, afirma Elvis Tolentino o representante do grupo Deusa do Amor Sem Fronteiras, que este ano vai sair com o tema “Navegando contra a maré das desigualdades“. Segundo o coletivo, o tema apela a melhorias na educação, saúde, também a nível de direitos de igualdade de género e sociais.

O mesmo diz que estão com um total de 350 figurantes que vão desfilar na Avenida Cidade de Lisboa, mas lamenta que até agora o grupo não recebeu o subsídio para cobrir os gastos. “Estamos à espera da Câmara Municipal e do Ministério da Cultura para a atualização das nossas verbas, visto que todos os grupos já receberam o subsídio”.

Apesar disso, Elvis Tolentino felicita o entusiasmo dos participantes do grupo que têm altas expectativas. “Esperamos que entre todos os grupos sejamos o melhor. O objetivo é melhorar sempre a qualidade do nosso trabalho apresentado todos os anos”.

Já Gamal Monteiro, representante do grupo Bloco Afro Abel Djassi, afirmou que “a expectativa do grupo é de dar o seu melhor”.

O grupo vai sair na avenida com 300 figurantes com o tema “Simples Africano”, em homenagem a Amílcar Cabral. “O nosso enredo exalta sempre a cultura africana, antes da colonização, com o objetivo de desconstruir a narrativa criada durante os últimos anos”.

De acordo com Gamal este ano o grupo recebeu no total de 1450 mil escudos de verbas, patrocinados pela Câmara Municipal da Praia, Ministério da Cultura, Figurantes, Enapor e Amigos.

Artigo editado a 12 de fevereiro de 2024

Cidália Semedo/ estagiária

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Agenda