Concerto “Nô Bai Urdi” dá arranque à 7ª Feira de Artesanato e Design de Cabo Verde

O diretor do Centro Nacional de Artesanato e Design disse esta terça-feira, 25, no Mindelo, que o concerto “Nô Bai Urdi”, previsto para 26 de Novembro, dá arranque à 7ª edição da Feira de Artesanato e Design de Cabo Verde (Urdi).

Artur Marçal, que falava em conferência de imprensa no Centro Nacional de Artesanato e Design (CNAD), explicou que o concerto vai acontecer, em Chã de Alecrim, fora do centro da cidade do Mindelo, e será uma das grandes novidades desta edição da feira.

Segundo a mesma fonte, nessa feira, que decorrerá de 30 de Outubro a 04 de Novembro sob o tema “Tradição Oral, Cultura Imaterial”, apenas os artesãos com cartão poderão participar da feira na Praça Amílcar Cabral (Praça Nova) e nas atividades da Urdi. Para já, avançou, estão inscritos mais de 80 artesãos de todo o Cabo Verde.

“Este ano tem como tema “Tradição Oral, Cultura Imaterial” e fomos buscar Bulimundo e, a partir daí, começamos a trabalhar este conceito de tradição oral.

Este ano é especial, primeiro, porque é a sétima edição e porque é a primeira feira que está a acontecer depois da inauguração do novo edifício do CNAD”, explicou.

Conforme Artur Marçal, Boa Vista e Paul serão os municípios convidados e com o objetivo de “dar maior visibilidade ao que se faz de melhor no domínio do artesanato e da cultura” nesses dois concelhos.

Este ano, na residência criativa desafia os artesãos, designers e artistas plásticos a trabalhar sobre a lata e levar este material para o domínio da criação artística contemporânea.

Por sua vez, o Urdi júnior vai estar novamente com os alunos do Ensino Básico Obrigatório da Escola Técnica desafiando-os a trabalhar o método do design enquanto estrutura de pensamento sobre os contos tradicionais.

O presidente do CNAD anunciou ainda que no decorrer da feira haverá uma exposição evocativa do projeto “Blimundo”, de Leão Lopes, que foi apresentado no Expo 98, outra exposição sobre os resultados do projeto Renda Brava, Grandes Conversas com seis painéis sobre a tradição oral e prémio Djoy Soares, que vai desafiar os artesãos a apresentar uma peça mais ligada a tradição oral.

Haverá ainda uma revisitação ao trabalho Teresinha Lopes da Silva, e uma dedicação à Celina Pereira, ambas impulsionadoras da tradição oral em Cabo Verde, incursões ao interior de Santiago, que “tem uma forte tradição oral”, Food Design, “Urdi depôs d’hora”, que vai acontecer em espaços culturais e noturnos da cidade do Mindelo, entre outras atividades.

Segundo Artur Marçal, neste momento já estão na fase de produção das peças que foram seleccionadas no concurso de design para serem expostas no Salão Created in Cabo Verde.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Agenda