Covid-19: Organizadores de eventos consideram-se prejudicados com as medidas restritivas anunciadas pelo Governo

Os organizadores de eventos da cidade da Praia admitem a necessidade de se agir para conter a propagação da covid-19, mas dizem-se prejudicados com as medidas restritivas anunciadas esta terça-feira, 28, pelo Governo.

Em conversa com a Inforpress, Jean Barbosa do Cockpit/Hangar7, disse que a medida de limitar o número de pessoas nas festas já está a trazer constrangimentos para a sua organização, tendo em conta os investimentos já realizados.

“Temos vários eventos nesses dias que já estão todos ultimados e todos pagos, com a relação de bebidas pagas, artistas que vêm de fora pagos com viagens e hotéis todos pagos”, disse.

Por outro lado, adiantou que, para além das pessoas comprarem os bilhetes, têm agora que arcar com mais custos para a realização de testes de covid-19 que vão ser exigidos para a entrada e permanência nas festas.

“Nós, enquanto produtores de eventos, entendemos que o Estado deve tomar as medidas. sim, mas não é desta forma, porque entendemos que não são as festas e os eventos que estão a provocar o aumento da covid-19. As festas estão a fazer as pessoas realizarem testes e a prevenir um bocado”, criticou.

Na perspectiva desse organizador de eventos, as medidas deveriam ser tomadas, mas nível do controlo das fronteiras.

“Deviam fiscalizar a entrada dos emigrantes e dos turistas, porque notamos que não tem havido controlo nas entradas. Os testes que apresentam não sabemos se são verdadeiros ou falsos e não são obrigados a realizar teste aqui no país”, realçou.

“Por isso, nós como promotores de evento achamos que ali é que o Governo devia apertar e não no ramo dos eventos que dá trabalho à muita gente e divertimento às pessoas para suportar a afronta da pandemia”, disseJean Barbosa acrescenta que várias empresas do ramo de organização de eventos que organizam as festas de final de ano estão a sentir-se prejudicados, estando a decorrer uma “onda de reclamação nas redes sociais e manifesto nas ruas”.

“Nós acreditamos que deviam pensar melhor antes de fechar, dois a três dias antes das festas do final de ano”, disse, indicando que a organização vai agora ter de trabalhar para acomodar o número de pessoas permitidas nas festas, exigir teste para a entrada e permanência na festa e ainda cumprir o horário.

A Inforpress ouviu também o DJ Pensador, que está na organização de uma festa de reivillon no espaço denominado Warehouse. Pensador disse que foi “bom” o facto de as medidas adoptadas pelo Governo no combate à pandemia não ter suspendido as festas Réveillon e prometeu cumpri as regras impostas

“Vamos cumprir todas as medidas de prevenção e restrições impostas [pelo Governo], afirmou DJ Pensador, que se congratulou por as medidas não terem canceladas as festas de réveillon, para não prejudicar os empresários da área mais do que já acontece durante os 19 meses da pandemia de covid-19.

Considera que o seu espaço, denominado Warehouse, “está preparado e totalmente equipado” para receber o réveillon com que pretendem brindar os praienses no final do ano.

O número que haviam estipulado para a festa do fim do ano, indicou, vai ser reduzido para que sejam cumpridas as directrizes das autoridades.

Entre as medidas hoje anunciadas pelo Governo está a proibição das festas ou celebração na via pública, e as festas em espaços fechados devem ter até ao máximo de 40 pessoas e a entrada deve ser mediante apresentação obrigatória de testes PCR ou de antigénico, com resultado negativo, para além de certificado de vacinação ou recuperação.

O país está em situação de contingência desde hoje até ao dia 20 de Janeiro de 2022, “medida imposta” pela situação de agravamento do registo da taxa de incidência da covid-19, conforme explicou o Chefe do Governo.

MJB/LC/JMVInforpress/fimThe post Covid-19: Organizadores de eventos consideram-se prejudicados com as medidas restritivas anunciadas hoje first appeared on INFORPRESS.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest