CVMA 2021: Cinco horas de espetáculo marcam reabertura dos grandes eventos culturais em Cabo Verde

Numa noite em que os artistas masculinos foram os mais premiados, foram entregues 16 galardões, três Menções Honrosas e três Prémios Carreira, que agora passam a designar-se Prémio Cesária Évora. “Moda um passaro” de MC Tranka Fulha feat Ferro Gaita foi eleita como Música do Ano da X edição dos CVMA.

O largo Amílcar Cabral ‘vestiu-se’ a rigor para acolher a X edição da gala dos Cabo Verde Music Awards. Buguin Martins, Mário Marta e Ga DaLomba foram os artistas mais premiados da noite e MC Tranka Fulha arrecadou o galardão de Música do Ano com o tema “Moda um passaro”, uma colaboração com os Ferro Gaita. Segundo a organização, mais de oitocentas pessoas marcaram presença no evento que teve transmissão online e uma duração de cinco horas.

Os CVMA 2021 arrancaram às 21 horas com a habitual passadeira vermelha. Depois de cerca uma hora de receção de convidados, deu-se início à gala com um medley com vários artistas e dançarinos num retrospetiva das edições anteriores.

De seguida, os apresentadores da gala Nancy Vieira e Dorival Bettencourt subiram ao palco para anunciar as Menções Honrosas que foram para os artistas Johnny Fonseca, Zé Rui de Pina e o malogrado Orlando Pantera. O galardão de Orlando Pantera foi entregue à filha Darlene Barreto que se mostrou muito feliz com a homenagem que a organização fez ao pai.

Depois foi a vez de anunciar o vencedor da categoria Artista Revelação que foi para a dupla Janny Brito & Patrick Brito.

A música “Boa” de Mário Marta foi eleita a Melhor Coladeira dos CVMA. O artista, que estava a concorrer juntamente com Assol Garcia e Elida Almeida, disse que não estava à espera de ser o vencedor, uma vez que, é fã das outras duas nomeadas.

Depois passou-se para um momento musical com os artistas convidados Cee Jay Sena e Tito Paris que interpretaram o tema “Preto é Mi”.

O galardão de Melhor Produtor foi para DC Pro que estava nomeado pela primeira e afirmou que não contava levar o troféu para casa.

Já o prémio da Melhor Música Tradicional foi para “Nhor Des Criador” de Taresa Fernandes das batucadeiras Tradison di Terra. Taresa agradeceu a Deus, a família, aos fãs e à organização da gala. “Música é vida”, afirmou emocionada.

Depois foi a vez do artista Buguin Martins subir ao palco para interpretar “Bu Markan” tema com o qual estava nomeado em quatro categorias: Melhor Kizomba, Melhor Videoclipe, Melhor Intérprete Masculino e Música do Ano.

O artista mindelense Khaly Angel que integrou a banda da gala também levou para casa um prémio, o de Melhor Ritmo Internacional com o single “Ka bu Largan”, um tema que diz ter feito com muito amor e agradeceu a sua mãe.

Na categoria Melhor Afrobeat/Afrohouse, o tema “Princesa” de Kinzim foi o escolhido pelo júri. “É com muito orgulho que estou aqui. Eu não ganhei o prémio, mas sim o público”, frisou o artista ao receber o prémio.

No relógio já passavam das 23h00 quando terminou a primeira parte da gala. A segunda parte começou meia hora depois com MC Tranka Fulha e Ferro Gaita a interpretarem “Moda um passaro”, que estava nomeado em três categorias.

Ga DaLomba arrecadou o prémio de Melhor Colaboração com “Afrokabuverdianu”, um tema que fez em colaboração com Kuumba. “Essa vitória é de todas as pessoas que consomem droga e que ninguém acredita nelas, é de todas as mães (…)”, disse Ga Dalomba com emoção.

Quem também dedicou o prémio à progenitora, foi Buguin Martins ao receber o galardão de Melhor Videoclipe com “Bu Markan”.

Já perto das 00h00, a fadista portuguesa Cuca Roseta subiu ao palco dos CVMA e brindou o público com fado e com uma homenagem à Cesária Évora com o tema “Sodade”. Em crioulo, a cantora disse que estava muito feliz de estar cá. “É uma honra vir fazer parte deste evento da música de Cabo Verde. Vocês têm um talento incrível e é uma honra estar aqui”. O público aplaudiu a artista e pediu mais, pedido que a fadista aceitou com uma música da tradição do Norte de Portugal “Rosinha”.

“Independent” de Dynamo foi eleito como Melhor Álbum do Ano, mas o artista salense não pode estar presente na Gala. Já o prémio de Melhor Intérprete Masculino foi para Mário Marta com o tema “Boa”. O artista subiu ao palco e cantou um excerto das músicas “Sodade” e “Petit Pays” de Cesária Évora e agradeceu aos fãs, à Cesária com quem teve o privilégio de conviver e aos familiares, principalmente à tia que o ensinou a cantar. “Aprendi muito com mulheres. Tenho uma alma feminina (risos)”.

Seguiu-se a entrega do prémio na categoria Melhor Kizomba que foi para a música “Bu Markan” de Buguin Martins. “Hoje é o dia mais feliz da minha vida”, afirmou.

Josslyn Medina foi distinguida como Melhor Intérprete Feminina. “Estou contente e este prémio significa muito para mim. Esse troféu é para todos os que fizeram parte da minha carreira”.

As batucadeiras Tradison di Terra subiram novamente ao palco para interpretar o tema “Nhor Deus é Criador”, que venceu na categoria Melhor Música Tradicional.

Com um pé de dança ao som de um funaná, os apresentadores da gala anunciaram a categoria Melhor Funaná que foi para os Fidjos Codê di Dona com o tema “Nu Ama nos mai”.

Jorge Sena recebeu o galardão de Melhor Morna com o tema “Serenata a B.Leza”. O prémio foi entregue pelo Ministro da Cultura e Indústrias Criativas, Abraão Vicente, que disse que “a morna é a alma do nosso povo”.

Por sua vez, Jorge Sena declarou que se pudesse oferecia o prémio a um ‘grande senhor da morna’ que é Quirino do Canto que também estava nomeado na mesma categoria.

Prémio Carreira passa a designar-se Prémio Cesária Évora

Os artistas Gil Semedo, Grace Évora e o malogrado Jorge Neto foram homenageados com o Prémio Carreira que agora passa a designar-se de Prémio Cesária Évora. O momento foi marcado pela subida ao palco da neta de Cize, Janete Évora, e disse que espera que o legado da avó perdure no tempo. “Ela fez muito por Cabo Verde e acho que podemos fazer mais por ela”.

Grace Évora agradeceu à organização, aos colegas, fãs e à família, já Gil Semedo afirmou estar grato a Deus por lhe ter dado a vida e por ter colocado a música na sua vida. “Já levo 30 anos a cantar e espero cantar até o fim da minha vida”.

De seguida, acompanhado pelo músico Johnny Fonseca, Grace Évora cantou o hit “Lolita” e Gil interpretou “Maria Júlia”.

Gil Semedo, Grace Évora e Johnny Fonseca, acompanhados por Neto Júnior, um fã incondicional de Jorge Neto, interpretaram os temas “Rosinha” e “Sem Ninguém” do malogrado artista, um momento bastante aplaudido pelos presentes.

A X edição dos CVMA teve a duração recorde de cinco horas e encerrou por volta das 02h30 com a entrega do prémio “Música do Ano que foi para o tema “Moda um passaro” do MC Tranka Fulha feat Ferro Gaita. “Acho que estou a sonhar. É muita emoção”, disse o artista emocionado e agradeceu a todos que votaram nele para de seguida interpretar o tema vencedor ao lado de todos os galardoados da noite.

Dilza Soulé, a responsável pela organização dos CVMA, avaliou positivamente a X edição do evento e disse que já estão prontos para a próxima edição. “Valeu muito a pena. A palavra de hoje é gratidão para todos que estiveram envolvidos na realização dos CVMA. Os artistas são a razão de ser dos CVMA”, disse em forma de balanço.


Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest