DiTerra Records ambiciona ser uma referência no mercado nacional ao lançar “Hip-Hop diTerra vol. 1”

O estúdio de produção musical DiTerra Records vai disponibilizar online nas plataformas de streaming nesta sexta-feira, 22, o primeiro álbum de originais uma compilação denominada “Hip-Hop diTerra vol. 1”.
Foto cedida

Em entrevista ao Balai, um dos mentores do projeto, Nilton Andrade de nome artístico Buddha, diz que o projeto DiTerra começou há oito anos. “Desde o início tínhamos vontade de ter o nosso próprio estúdio”, explica e acrescenta que este projeto é um sonho partilhado com o produtor Nelisson Araújo.

Para Nilton Andrade, a maior dificuldade foi fazer com que as pessoas acreditassem no projeto. “Tivemos algumas dificuldades na adesão das pessoas”, mas que, segundo o entrevistado, melhorou com o tempo.

Ao longo dos anos, o estúdio de produção musical acabou por se expandir para um estúdio de audiovisual, de fotografia e gravação de programas e, atualmente, apostaram no multimédia, com a produção de conteúdos para terceiros.

“O projeto DiTerra tem diferentes seguimentos: o DiTerra Records focado na música, Lenti DiTerra , que é o estúdio fotográfico, e HIP POP DiTerra que é uma plataforma de produção de cultura urbana”.

O objetivo do DiTerra Records é ser uma referência nacional a nível de produção musical, audiovisual, visando expandir com o tempo, tentando sempre “ter um diferencial dos outros produtores musicais para mais tarde alcançar uma dimensão maior”.

O estúdio que abriu aquando da pandemia “não está com todo o potencial que deveria ter”. “Apesar dos obstáculos (…) decidimos focar-nos no nosso projeto que resultou assim no lançamento do álbum”.

“A ideia de fazer uma compilação surgiu da necessidade de promover o estúdio, ter o nosso primeiro trabalho no nome do estúdio e promover a plataforma Hip Hop DiTerra . O álbum é algo que está a ser feito pouco no mercado, apresentando-se mais singles no mundo da música”, frisa Buddha.

O trabalho é constituído por 18 faixas e traduz-se numa fusão de talentos entre diversos artistas e produtores nacionais, resultando assim num projeto diversificado em termos de ritmo”, lê-se em nota de imprensa.

Segundo o mentor, o objetivo deste trabalho é “trazer diversidade num formato diferente e que seja representativo da cultura do Hip-Hop no país e na nossa diáspora, trazendo algo novo, algo que as pessoas ainda não ouviram, daí uma compilação de artistas”.

“No total, participaram 43 artistas no trabalho, entre rappers e cantores, e cinco produtores, alguns residentes na Praia, outros nas ilhas e na Diáspora”, explica Buddha.

Nilton Andrade acrescenta ainda que em breve vão lançar uma edição para colecionadores, algo especial, uma edição limitada e colecionável.

O álbum que já foi apresentado no dia 15 de julho no canal do Youtube do estúdio é disponibilizado ao público nas principais plataformas de streaming nesta sexta-feira, 22.

“A primeira apresentação do projeto foi feita na Quebra Kabana no dia 1 de julho, com um total de 60 convidados”, diz mentor do projeto e acrescenta que uma apresentação ao público ao vivo (concerto) deverá acontecer em meados de setembro ou outubro.

Cátia Gonçalves/ estagiária

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest