Djarfogo Internacional Film Festival celebra Centenário de Amílcar Cabral com homenagem ao cinema africano

O evento visa homenagear os filmes e cineastas de Angola, Cabo Verde, Gana, Guiné-Bissau e Santo Tomé e Príncipe.

O Djarfogo Internacional Films Festival (DIFF) realiza durante cinco dias apresentações de curtas metragens para celebrar o Centenário do Nascimento de Amílcar Cabral com uma homenagem ao Cinema e aos Cineastas Africanos. O evento arranca na Praia a 24 de maio, avança uma nota de imprensa da organização.

O Djarfogo Internacional Films Festival de 2024 vai homenagear os filmes e cineastas de Angola, Cabo Verde, Gana, Guiné-Bissau e Santo Tomé e Príncipe, segundo a mesma nota que salienta que o DIFF 2024 conta com a parceria da Fundação Amílcar Cabral e da Mount Saint Mary’s University/Hollywood Studio Campus.

O evento acontece em três locais diferentes da cidade da Praia, nomeadamente, no Centro Cultural Português, na Universidade de Cabo Verde e no Palácio da Cultura Ildo Lobo e terá transmissão online.

A cerimónia de abertura tem lugar no dia 24 às 17h45 no Centro Cultural Português e conta com a exibição de dois filmes: o “O Nascimento de uma Nação”, do cineasta Lennart Malmer, e o filme “O Último Desejo do Vulcão” do realizador Guenny Pires de Cabo Verde.

No dia seguinte, 25, no Palácio da Cultura Ildo Lobo, vão acontecer workshops e masterclass e vão ser exibidos mais dois filmes: o “Zongi” da realizadora Lauriane Nangana (Angola e Gana) e “O Quadro Com Muitas Histórias” (Guiné Bissau).

Ainda no Palácio da Cultura Ildo Lobo, no dia 26 a partir às 18h00 vão ser apresentado mais dois filmes: o cabo-verdiano, “O Último Desejo do Vulcão,” do realizador cabo-verdiano Guenny Pires e o filme “A Fita Cor-De-Rosa” do realizador Mon de Anjo.

Já no dia 27 é a vez da Universidade de Cabo Verde receber o evento com workshops e masterclass e a apresentação de quatro filmes, nomeadamente: o “Zongi”, o “Palanteer M` Bedd” do realizador Mamadou Diop (Senegal), o “Amolê Pedaço” da realizadora Ceita Gomes e “O Último Desejo do Vulcão”. Nesse dia também acontece a entrega de prémios e menções.

E no último dia, 28, tem lugar uma conferência de imprensa com os membros do projeto DIFF e os cineastas africanos no Palácio da Cultura Ildo Lobo. Durante os cinco dias para além da exibição de filmes vão ser realizadas conversas abertas, entrega de prémios e menções.

A DIFF é uma organização independente sem fins lucrativos para apoiar a comunidade de cineastas e fortalecer os laços bilaterais entre Cabo Verde e o mundo. O objetivo principal é envolver a juventude local no desenvolvimento de competências criativas e promover histórias e imagens africanas através de meios criativos, como filmes, artes visuais e apresentações culturais.

Cidália Semedo/ Estagiária

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Agenda