Do anonimato à Revelação dos CVMA: Nessa Onda, a menina que se redescobriu na música no Brasil

Em apenas um ano, o meteórico sucesso da artista rendeu duas nomeações nos CVMA à jovem praiense, uma na categoria “Outros Ritmos” e outra na categoria “Artista Revelação”, onde a mesma conseguiu arrebatar o troféu.

Com o single “Completam”, Nessa Onda conquistou o troféu de Artista Revelação na XIII gala dos CVMA, realizada no sábado, 1 de junho, na cidade da Praia. Em conversa com o Balai antes ainda de vencer o troféu, a artista conta como o gosto pela música desabrochou no Brasil onde se encontra a estudar Enfermagem.

Vanessa Silva, nome próprio da Nessa Onda, é uma jovem estudante de 25 anos, do bairro de Palmarejo, na cidade da Praia, que atualmente vive em Florianópolis, Brasil, onde está a estudar o terceiro ano de Enfermagem.

A redescoberta musical no Brasil

A jovem que escolheu fazer o curso propositalmente naquele país pela proximidade cultural e por considerá-lo uma referência no ensino da saúde, contou em entrevista como as influências brasileiras foram essenciais na sua redescoberta musical.

“Cheguei ao Brasil sem nenhuma intenção de fazer música, também porque não tive esse incentivo direto. É sabido que a maioria dos pais cabo-verdianos não vê o entretenimento e a arte como uma carreira segura e nos aconselham a seguir outros caminhos”, diz.

Por essa razão, Vanessa, que desde pequena esteve envolvida no mundo da música e que inclusive ganhou o concurso “Todo Mundo Canta”, realizado na cidade da Praia em 2015, continuou com as atividades musicais no Brasil apenas como um hobby, participando de saraus musicais e outros eventos paralelos aos estudos.

Durante eventos onde promoviam conversas em torno da africanidade, dos quais participava nos momentos culturais, a jovem diz que começou a posicionar-se política e artisticamente através dos contatos que estabeleceu e que notaram o talento da cabo-verdiana na música.

“A Vanessa que sou hoje deve-se muito ao Brasil. Se fosse estudar noutro país, talvez não descobrisse a parte de mim com valores e princípios que carrego hoje e que me trouxeram para a música novamente”, considerou.

Numa das atividades, Vanessa conheceu o engenheiro de som guineense e produtor musical da Fufu Records, JaxOnethebeat, que admirado com a desenvoltura da jovem, convidou-a a fazer parte da produtora, onde está desde 2022.

Visibilidade online e lançamento do single

O nome que hoje carrega a marca artística da cabo-verdiana nada mais é do que um trocadilho com a alcunha “Nessa”, de Vanessa, que junto a outras expressões resultaram em “Nessa Onda”, apelido herdado quando ainda vivia em Cabo Verde.

O nome ganhou mais força em 2020 quando, por coincidência, Carlos Andrade, o humorista e produtor de conteúdos cabo-verdiano residente em Lisboa, quis “batizar” a jovem com o mesmo apelido, após esta ter participado do “Quarentena Got Talent”, um concurso de talentos online promovido pelo humorista durante os períodos da covid-19.

“Naquela altura, acredito que a internet me deu um espaço e consegui ter acesso a outros artistas depois do concurso, como o Ritxa Kursha, com quem fiz a minha primeira música, ‘Badja ku bo’, o que possibilitou que esse nome ficasse registado artisticamente”, lembra.

Após “Badja ku bo”, lançada em junho de 2022, Vanessa viu a rotina tomar outro rumo e a música passou a ser parte dela. Em fevereiro de 2023, tirou da gaveta uma de suas composições feitas ao lado de mais três amigos durante a adolescência e decidiu dar-lhe voz e ritmo. Foi desta forma que (re)nasceu o single “Completam”.

“Quando lançamos, nem tínhamos tantas expectativas de que ia tomar a proporção que tomou, porque a música foi divulgada mais com o intuito de abrir o meu canal do YouTube. Ficamos bastante surpreendidos quando, no final do ano, começou a alastrar-se pelas redes sociais”, revelou.

Embora “Completam” tenha gerado muitos retornos fora do Brasil, por razões académicas, as únicas atuações musicais da artista têm sido ainda somente no território brasileiro, em alguns pequenos eventos e atividades para as quais é convidada a participar.

“Tem sido uma rotina interessante, às vezes tenho que fazer um estágio em tal lugar e logo depois sair e ensaiar ou fazer um show noutro lugar, mas foi algo que não estava à espera e que agora tem sido leve e estou a gostar bastante de lidar”, partilhou.

Influências musicais e construção da identidade artística

Com ritmos mais suaves e com dois trabalhos assinados em um ano, “Kodé” e “Completam”, junto a outras colaborações com artistas cabo-verdianos e dos PALOP, Nessa revela que as suas influências musicais centram-se principalmente na MPB (Música Popular Brasileira), inspirando-se em artistas como Djavan, Gilberto Gil, Ivete Sangalo, Jorge Ben Jor, Caetano Veloso, Tim Maia e a nova geração deste género.

“As músicas brasileiras foram as que mais ouvi e cantei durante toda a minha vida. Claro que as cabo-verdianas também não ficam para trás, com artistas como Sara Tavares, Lura, Tcheka, Princezito, Mário Lúcio, Alberto Koenig, entre outros, que são cantores que estão no ramo, mas também atuam na sociedade de forma interventiva”, apontou.

“Estas pessoas influenciam-me porque, além de ser bastante apegada à arte, também sou apegada ao artista. Embora isso seja uma discussão no ramo, como, por exemplo: se as pessoas soubessem sobre o que o artista faz, será que continuariam a apoiar a sua arte?”, questionou.

A jovem, que diz ainda estar em busca da sua identidade, partilhou que se define como uma artista de ritmos tradicionais misturados aos contemporâneos. “Defino-me como uma artista cultural, que busca marinar nos estilos modernos e levar comigo o crioulo”, classificou.

Do anonimato à Revelação dos CVMA

A contar hoje com 1,97 mil subscritores no canal do YouTube e 125 mil visualizações na música “Completam”, Nessa Onda chegou à nomeação de duas categorias da XIII edição dos CVMA, uma na categoria “Outros ritmos” e outra na categoria “Artista Revelação”, tendo ganho o troféu de Revelação este sábado, dia 1.

Em entrevista antes de vencer o prémio, Nessa afirmou que, da mesma forma que se surpreendeu com o sucesso da canção nas redes sociais, as nomeações também chegaram de surpresa, embora não tenha conseguido estar presente no evento, por questões académicas.

“Foi uma explosão de sentimentos, mas o que prevalece é a alegria. É tudo muito novo, ainda ontem comecei e este reconhecimento tem sido incrível”, comenta sobre as nomeações.

“É muito bom ver esse reconhecimento vindo por parte de várias pessoas que ajudaram essa música acontecer, desde a escrita à produção, e de sentir o afeto delas por algo que gostam”, celebra o prémio recebido.

Planos e prioridades

A jovem, que no início da entrevista contou do receio dos pais, que mesmo acreditando no talento da filha, insistiram que apostasse numa carreira além da música, diz que hoje em dia, perante os resultados, estão mais confiantes de que Vanessa saberá dar conta dos dois mundos.

A jovem, que se encontra na reta final do curso, perspetiva completar a etapa e, a seguir, dar prioridade ao lado artístico, uma vez que “entre as duas carreiras, atualmente a música tem pesado mais”.

Para o ano, tenho planos de lançar um álbum. Por estar ainda no início, acredito que tenho um público que chegou por conta da música “Completam” e um outro público que me acompanha desde a quarentena, então será um álbum no estilo do que fazia antes, com uma mistura de variados ritmos e colaborações”, revela.

Questionada se pretende dar essa continuidade em Cabo Verde, a Artista Revelação manifestou a vontade de regressar à terra, mas reconheceu o papel do Brasil no seu resgate artístico e na potencialidade de corresponder àquilo que procura.

“Cabo Verde tem evoluído bastante no cenário musical, agora está a dar espaço para todos e para tudo aquilo que é música. Está bonito, mas acredito que, quando se fala em nicho, o país tem abraçado mais os ritmos festivos e, pela temática que tenho, pode parecer que aqui fora eu tenha mais oportunidades”, afirmou.

Vanessa Silva, que há um ano era apenas uma estudante que saiu da Praia para o Brasil em busca de uma formação, assume-se hoje como Nessa Onda, a Artista Revelação dos CVMA, resgatada pela sonoridade brasileira e pronta para levar os ritmos crioulos a outros rumos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Agenda