Fladu Fla considera Prémio de Mérito Teatral “um grande incentivo” para promoção do teatro e da cultura

O presidente da Companhia do Teatro Fladu Fla manifestou hoje “orgulhoso” pela distinção com o Prémio de Mérito Teatral 2022 pela Associação Mindelact e considera este reconhecimento um “grande incentivo” na promoção do teatro e da cultura cabo-verdiana.

Sabino Baessa manifestou esta satisfação à Inforpress, acrescentando que Fladu Fla sempre primou por fazer um “excelente trabalho”, e o facto de fazer o trabalho e ser premiado, a seu ver, significa que a sociedade está a valorizar o trabalho que realizam.

“Isto nos permite ter mais motivação e mais empenho e dedicação (…), constitui um motivo de grande incentivo e um valor acrescentado ao espírito motivador que os nossos agentes culturais têm tido dentro do panorama do desenvolvimento teatral cabo-verdiano”, considerou.

Segundo o presidente do Fladu Fla, esta distinção, vinda sobretudo de um grupo de uma ilha com uma dinâmica de teatro bastante desenvolvida, torna-se mais um motivo de orgulho para o grupo, porque faz sentir que, “realmente”, estão a ser destaque não só na ilha de Santiago, mas também a nível nacional.

“Com esse reconhecimento, a sociedade acaba por ver que as parcerias vindas tanto por parte da câmara municipal quanto do Ministério da Cultura, afinal, não constituem um dinheiro que está a ser deitado fora, mas sim um investimento que se está a fazer na cultura cabo-verdiana”, observou.

Para este responsável essas parcerias têm-se revelado também que a Companhia, que este ano vai completar os 20 anos de existência, “está num bom caminho”.

Para Sabino Baessa, no plano das modalidades artísticas o teatro é um dos componentes mais pobres e que até o presente momento a sociedade cabo-verdiana atribui o teatro para pessoas desocupadas.

Entretanto, prosseguiu, nos últimos tempos tem-se mudado um pouco este paradigma. Com a estreia do “Chiquinho” no ano passado, afirmou, puderam constatar a diversidade de classe social que estava na plateia, o que mostrou, segundo Baessa, que, afinal, o trabalho que fazem está a ser valorizado.

“O teatro integra a música, a literatura, dança, pintura, ou seja, todas as outras modalidades da arte acabam por integrar dentro do teatro, que traz mais valor estético e ao conteúdo que a própria dramaturgia trabalha”, concluiu. 

A cerimónia de atribuição do prémio será realizada no próximo dia 27 de Março, Dia Mundial do Teatro, na cidade do Mindelo.  

O Prémio de Mérito Teatral foi criado em 1999 pela Associação Mindelact, para anualmente homenagear um grupo de teatro, particulares, empresas ou instituições públicas ou privadas que se destaquem pelo apoio e contribuição para o desenvolvimento das artes cénicas cabo-verdianas.  

O galardão, de acordo com a associação, tem como objectivo principal servir de incentivo para aqueles que, de uma forma ou de outra, têm contribuído para o melhoramento do teatro.   

O prémio é representado por uma estatueta em bronze concebida pelo artista plástico Manu Cabral, a partir de um dos elementos que constituem o logótipo da Associação Mindelact, este por sua vez da autoria da artista plástica Luísa Queirós. 

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest