Germano Almeida homenageado pela primeira vez na sua ilha natal

O escritor Germano Almeida foi hoje homenageado pela primeira vez na sua ilha natal, em cerimónia que aconteceu em Sal Rei, evento que se enquadra nas festas de município e padroeira da ilha da Boa Vista, Santa Isabel.

A noite de homenagem, que aconteceu no Centro de Artes e Cultura (CAC), acabou por ser uma surpresa a Germano Almeida. Isto porque para o escritor boa-vistense, o evento seria somente para o lançamento de dois livros seus “A confissão e a culpa”, e o “O último Mugido”, que juntamente com “o Fiel Defunto”, fazem parte da trilogia, Mindelo, todos já no mercado literário.

As professoras Helena Duarte e Jacira Monteiro fizeram o lançamento dos dois livros, em forma de diálogo, em que as duas docentes falam sobre as obras, e de seguida o público presente fez perguntas ao autor.

Houve ainda apresentação de um vídeo em que pessoas de vários quadrantes sociais falaram sobre as obras e o percurso de Germano Almeida.

De seguida, o autor de “A ilha Fantástica” recebeu das mãos do presidente da Câmara Municipal, Cláudio Mendonça, uma estatueta como forma de reconhecimento do seu trabalho em prol da literatura, da cultura da ilha das Dunas e de Cabo Verde.

Entre aplausos, visivelmente emocionado e ao mesmo tempo surpreso, em poucas palavras dirigidas ao público presente, no palco, Germano Almeida confessou estar muito comovido e que não contava com a homenagem.

“Falar vagamente que viria a ser homenageado não fiz ideia que seria uma coisa tão bonita”, disse, afirmando que enquanto via e vivia a homenagem lembrou dum verso dum poeta português João de Deus, que durante uma homenagem disse: “estas honras e este culto bem se podem prestar a homens de grande vulto….”.

“É o que senti em mim porque eu sou um humilde filho da Boa Vista que, mesmo sem estar aqui presente, amo a minha terra”, considerou, reiterando que “não contava com a homenagem em que manifestou gratidão ao presidente da Câmara Municipal da Boa Vista, Cláudio Mendonça, por este reconhecimento.

O edil, Cláudio Mendonça, por sua vez, considerou a homenagem “justa e afetuosa” ao reconhecer o contributo que o escritor deu a cultura cabo-verdiana e a sociedade.

“Esta homenagem é um imperativo de consciência e de gratidão que esta ilha reconhece pelo valoroso trabalho de promoção da fantástica ilha da Boa Vista dentro e fora do país”, afirmou, destacando esta iniciativa da edilidade que propôs este tributo ao mais renomado entre os escritores cabo-verdianos contemporâneos.

Cláudio Mendonça enalteceu o contributo que Germano Almeida deu e continua a dar no domínio e na valorização da cultura cabo-verdiana, facto que, relembrou, ter sido reconhecido a nível internacional, que constitui orgulho a nação, e de entre outros, nomeou, o prémio Camões, atribuído ao escritor, em 2018.

“Aquele que compartilha conhecimentos merece receber toda a nossa honra, todas as nossas felicitações, respeito e admiração, como é o caso de Germano Almeida”, pontuou, observando que a homenagem enriquece e engrandece a agenda das festas de município e Santa Isabel, padroeira da ilha da Boa Vista.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Agenda