Grupos deixam críticas e mostram-se insatisfeitos com resultados das premiações do Carnaval da Praia

Os grupos Deusa do Amor Sem Fronteiras e Vindos do Mar dizem que ainda vão analisar a sua participação na próxima edição. Já o Bloco Afro Abel Djassi reclama da atribuição dos prémios de Melhor Música e Melhor Bateria.

Os resultados dos prémios do Carnaval 2024 na Praia foram anunciados na sexta-feira passada, dia 16 de fevereiro, e os grupos Deusa do Amor Sem Fronteiras e Vindos do Mar dizem estar “insatisfeitos” e pretendem reunir-se para decidir se vão participar no Carnaval de 2025. Já o representante do Bloco Afro Abel Djassi apesar de dizer que está habituado em não ficar no topo dos classificados chama a atenção para os grupos que não cumpriram o regulamento e foram classificados normalmente.

Em declaração ao Balai, a representante do grupo Vindos do Mar, Amélia Rosa, que ficou em terceiro lugar, afirma que muitas coisas não correram bem na decisão do júri na escolha dos prémios devido à demora que se prolongou durante dois dias depois do desfile do Carnaval.

“Na minha opinião, os júris não eram confiáveis. Deveriam escolher pessoas de outras ilhas que não têm amizades com nenhum grupo de Carnaval da Praia para decidirem os resultados”, disse a mesma fonte.

Amélia Rosa realça que o grupo pretende reunir-se com a direção e os elementos para analisar se vão sair na avenida para o desfile de Carnaval de 2025.

Em quarto lugar ficou o grupo Deusa do Amor Sem Fronteiras, representado por Elvis Tolentino, que partilha da mesma opinião dos colegas do Vindos do Mar e também admite que vão debater se o grupo vai ou não sair para brincar o carnaval em 2025.

Já Gamal Monteiro, representante do grupo Bloco Afro Abel Djassi, que ficou em último lugar, disse que está habituado a não estar entre os primeiros classificados e que o grupo não se preocupa com a classificação. “A minha única reclamação é que alguns grupos não cumpriram com o regulamento e foram classificados normalmente”.

“Há um grupo que não cumpriu com o regulamento estabelecido que é 75% de performance da música na avenida e não desempenharam com totalidade ao vivo”, reclamou o representante do grupo.

O mesmo adiantou que o grupo que ganhou o prémio de Melhor Música não tocou ao vivo conforme o regulamento exige.“Fomos o único grupo que tocou a música e a bateria do começo ao fim do desfile”.

“Em todas as edições que participamos sofremos injustiças, mas nunca reclamamos e esse ano decidimos pronunciar em relação à premiação da Melhor Música e Bateria, mas em relação às outras atribuições dos prémios não temos do que reclamar”, acrescentou Gamal.

Ainda a mesma fonte finaliza que mesmo ficando em último lugar todos os anos vão continuar a participar dos desfiles de carnaval da Cidade da Praia.

De realçar que o representante do grupo que ficou em segundo lugar, o Vindos d’África, José “Breu” Gomes anunciou na sexta-feira passada, dia 16, que o grupo não vai participar do Carnaval da Praia em 2025 e um dos motivos apontados é por falta de condições.

Mesmo o grupo vencedor, Samba Jó, que é bicampeão do Carnaval da Praia deixou o alerta que caso não haja melhoria das condições prometidas pela autarquia local também poderão não desfilar.

Cidália Semedo/ estagiária

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Agenda