Gugas Veiga salienta que crescimento do AME é ‘inquestionável’ e que evento marca ‘a cidade da Praia como centro da música transatlântica’

A abertura da 10.ª edição do Atlantic Music Expo contou com 31 homenageados nacionais e internacionais.

Arrancou na noite desta segunda-feira, dia 1, a 10.ª edição do Atlantic Music Expo no Auditório Nacional Jorge Barbosa, na Praia. A abertura contou com a participação de entidades nacionais e internacionais e com várias homenagens aos precursores e parceiros que contribuíram para a criação e a evolução deste evento. 

Com o auditório lotado, a Orquestra da Academia Cesária Évora deu o pontapé de saída para o Atlantic Music Expo deste ano por volta das 19h30, com interpretações de temas tradicionais de Cabo Verde que arrancaram muitos aplausos da plateia.

Durante o discurso de abertura, o diretor-geral do AME, Augusto “Gugas” Veiga, afirmou que o crescimento deste evento é “inquestionável” e que o AME marca a cidade da Praia como centro da música transatlântica e com um “destino de turismo cultural de excelência”.

Por outro lado, salientou que é preciso decidir de uma vez por todas se este evento é prioritário para a exportação da música de Cabo Verde e para a promoção do país. 

O impacto do AME e do Kriol Jazz na economia local é “inquestionável”, reforçou Gugas, que lançou um repto ao governo e aos parceiros para a realização de “um estudo de impacto mais amplo”.

A abertura do AME 2024 contou com 31 homenageados, entre eles, parceiros técnicos, institucionais e comerciais, entidades do governo e os precursores que contribuíram para o crescimento deste evento.

O ministro da Cultura e Indústrias Criativas, Abraão Vicente, o vereador Jorge Garcia da Câmara Municipal da Praia, o Presidente da República, José Maria Neves, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e o vice-PM, Olavo Correia, algumas empresas como a ASA, Garantia, a Marius Produções, a CVTelecom, e ainda órgãos de comunicação social como a RTP África, Rádio e Televisão de de Cabo Verde, a produtora Harmonia, a Polícia Nacional, e os hotéis Trópico e Praiamar foram algumas das entidades homenageadas da noite.

Mário Bettencourt, enquanto responsável da empresa Marius Produções, que foi um dos homenageados, revelou à imprensa que foi uma surpresa muito boa ter sido reconhecido por causa da longa data de parceria com a AME. O mesmo acrescenta que se sente satisfeito devido ao reconhecimento dos seus colegas, dispondo-se a continuar com esta parceria até onde for preciso.

Já o Vice Primeiro-Ministro, Olavo Correia, afirmou que é um orgulho enorme receber essa homenagem simbólica e que é um incentivo de fazer cada vez mais pela música de Cabo Verde. “Esta edição tem o maior orçamento de todos os anos, e tanto eu como o primeiro-ministro estamos engajados em colocar a cultura cabo-verdiana no lugar que merece porque é um setor importante para a construção de uma cultura mais diversificada e por isso vamos continuar a investir nesta área”.

Em declarações à imprensa após o evento, Gugas Veiga revelou que as perspetivas para esta edição são boas e que estão com um recorde a nível de participações e inscrições. “Acreditamos que as coisas vão correr bem e estamos à espera de muita adesão nesta edição”.

Com o lema “Formalização do Setor e a Sustentabilidade do Evento”, o diretor-geral disse que conta com parceiros que estão nesta luta para ganhar mais sustentabilidade. “O objetivo é para que este setor se formalize e que tenha o maior peso a nível da economia e que seja mais valorizado”. 

“A nossa ideia é fomentar o negócio a partir dos artistas, diretores dos festivais, jornalistas nacionais e do exterior e conseguir fazer contratos para que haja um futuro melhor para todos os envolvidos”, adiantou.

No entanto, salientou que para esta edição contam com 26 artistas, cerca de 120 músicos, de 10 nacionalidades diferentes e com uma programação que vai agradar à maioria das pessoas.

 O mesmo aconselhou à geração mais jovem a participar do AME para entender a sua dinâmica, justificando que só assim podem ganhar amor para com o evento e que também procurem saber mais e apoiar as organizações dos eventos culturais do país.

“Faço um balanço muito positivo porque muita gente ficou surpreso com a qualidade dos nossos músicos, desde a orquestra Cesária Évora até à banda Cartel que esteve presente. As jovens vozes que participaram da banda Cartel são talentos puros que precisam ser explorados, principalmente as mulheres, visto a todos os problemas sociais que estamos a passar atualmente.”

O evento terminou com a atuação da banda Cartel por volta das 21 horas que fez o público vibrar com as apresentações de várias músicas dos renomados artistas cabo-verdianos.

 O Atlantic Music Expo de 2024 decorre entre 1 a 4 de abril na Cidade da Praia. Além dos espetáculos com artistas, conferências e workshops, estão previstas uma feira com stands e reuniões one-on-one, entre outras atividades.

Na terça-feira, dia 2, estão previstas as atuações da banda cabo-verdiana Quarteto Ano Nobo, do artista português Luiz Caracol, da cantora brasileira Camila Reis, do grupo Sizal, entre outros.

Cidália Semedo/estagiária

Artigo editado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Agenda