Livro “Destino Aziago” do escritor José Joaquim Cabral apresentado em São Nicolau

O escritor José Cabral declarou na Ribeira Brava, durante a apresentação do seu livro “Destino Aziago”, que a obra fecha uma trilogia iniciada pela “obra basilar” da literatura cabo-verdiana “Chiquinho”, de Baltasar Lopes, de 1947.

“Destino Aziago”, Prémio Literário Arnaldo França 2022, foi apresentado no âmbito das festividades do Dia do Município da Ribeira Brava, e o escritor disse que, com a trilogia, depois da morte de Baltasar Lopes da Silva, “deu voz ao que ficou por contar”.

“Era o desejo de Baltasar Lopes da Silva continuar a história do “Chiquinho”, só que a polícia política da época não o deu autorização para ir aos Estados Unidos onde ia se inspirar para completar a história”, afirmou, realçando a sua satisfação por ter “dado continuidade a obra de Baltasar”.

Segundo a mesma fonte, “Destino Aziago” é inspirado naquilo que foi o fim de vida de Baltasar Lopes e do personagem feitiço do autor “Chiquinho”, que teve um fim de vida “turbulento”, daí o título da obra.

Com o livro, o autor encerra a trilogia do romance “Chiquinho”, depois de ter lançado, em 2019m “Acushnet Avenue”, livro que conta a história de “Chiquinho” na emigração,

José Joaquim Cabral, natural da ilha de São Nicolau, já publicou o romance “Acushnet Avenue” (2019), o romance histórico “Caminho (s) que trilharam” (2014), “Sodade de Nhâ Terra Saninclau” I, II, III (2008, 2009, 2012) e a biografia “Padre Gesualdo Fiorini, Italiano, de São Nicolau, cidadão” (2007).

A obra “Destino Aziago” foi o vencedor do Prémio Literário Arnaldo França 2022, prémio que foi criado tendo em vista a “promoção da língua portuguesa e do talento literário em Cabo Verde, bem como homenagear a destacada figura da literatura e cultura cabo-verdiana Arnaldo França”.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Agenda