Mais de 12 mil livros doados em Portugal para bibliotecas escolares em Cabo Verde

Mais de 12 mil livros serão enviados, na próxima semana, de Lisboa para Cabo Verde, no âmbito de um projeto solidário que visa apoiar a criação de bibliotecas escolares na Ilha de S. Vicente.

Denominado “Ler é abraçar o Mundo”, o projeto promovido pelo Camões – Centro de Língua Portuguesa no Mindelo, Universidade de Cabo Verde (UNI-CV) e Delegação de Educação, tem por objetivo criar e melhorar as bibliotecas escolares de escolas que acolheram, no presente ano letivo, os estudantes de Estágio Pedagógico do 4.º ano do Curso de Estudos Cabo-Verdianos Portugueses da UNI-CV.

O projeto iniciou-se com a angariação de livros de literatura infantil e juvenil em Portugal, na vila da Benedita, no concelho de Alcobaça, distrito de Leiria, de onde é natural a professora e investigadora da Uni-CV, Inês Silva, também responsável pelo Camões – Centro de Língua Portuguesa no Mindelo.

De acordo com o centro Camões, “perante a necessidade de os alunos realizarem atividades de promoção do livro e da leitura nessas mesmas escolas, e dada a inexistência de bibliotecas ou de livros infantojuvenis”, em fevereiro deste ano foi lançado nas redes sociais um apelo “à doação de livros em bom estado, bem como de publicações técnicas de diferentes áreas, destinados aos alunos do ensino básico e secundário da Ilha de S. Vicente”.

Em cerca de quatro semanas, o Centro Comunitário da Benedita, local de entrega, “recebeu um significativo acervo, no total de 12.600 livros”.

Além de particulares e instituições locais (como o Externato Cooperativo da Benedita, Agrupamento de Escolas da Benedita, o Centro Social e Paroquial, a Associação Barafunda e a Universidade Sénior), “que angariaram e entregaram centenas de livros”, a iniciativa alargou-se a territórios vizinhos onde se realizaram campanhas de angariação em vários estabelecimentos escolares de outros municípios, como Caldas da Rainha , Azambuja, Abrigada, Manique do Intendente, Aveiras de Cima e Porto de Mós.

O objetivo inicial seria criar duas bibliotecas (na Escola Básica de Monte Sossego e na Escola Básica António Aurélio Gonçalves) e proceder-se ao aumento do acervo literário da biblioteca da Escola Industrial e Comercial do Mindelo – Guilherme Dias Chantre.

Porém, “face ao excelente resultado obtido, os estudantes finalistas pretendem criar mais bibliotecas, em conjunto com a comunidade educativa, que tem respondido a sucessivos apelos nas redes sociais para ajudar com tinta, mobiliário, entre outros elementos necessários”, refere, em comunicado, o Camões, Instituto da Cooperação e da Língua.

O projeto contou com apoio do Grupo ETE, que assegura o transporte marítimo dos livros doados no navio Lagoa, que sairá de Portugal no dia 19 com destino a S. Vicente, bem como de empresas que asseguraram o transporte dos livros da Benedita até S. João da Talha e da Câmara Municipal de Alenquer, que transportou os livros do Agrupamento de escolas da Abrigada para S. João da Talha.

Citada no comunicado, Inês Silva, em representação do Camões – Centro de Língua Portuguesa no Mindelo, afirmou que “a participação das empresas, estudantes da formação inicial, professores, alunos, instituições e cidadãos dos dois países revela um sentido de união e de respeito entre os povos e suas comunidades, culturas e formas de vida”.

“A ação de solidariedade que se gerou é a prova de como se continua a encarar a promoção do livro, da leitura e da literatura no mundo – um dos pilares de desenvolvimento das pessoas, do seu crescimento intelectual, autonomia, espírito crítico e, consequentemente, liberdade” concluiu a professora na UNI-CV.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest