CMSV restaura monumento que recorda centenária travessia aérea do Atlântico

Cabo Verde iniciou o restauro do emblemático monumento conhecido por “Poss”, construído na ilha de São Vicente para assinalar a passagem da primeira travessia aérea do Atlântico por Gago Coutinho e Sacadura Cabral, foi esta sexta-feira, 22, anunciado.

O Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas referiu, em nota, que o restauro da estátua estava previsto para 2020, mas foi adiado devido aos impactos da pandemia de covid-19.

“Desta feita, e face ao arranque das obras, está prevista uma limpeza geral, estanque das rachaduras, recuperação e remoção do calcário, correção das fissuras”, enumerou.

A mesma fonte referiu que as intervenções arrancaram no início desta semana, e são realizadas pela Câmara Municipal de São Vicente.

O “emblemático” monumento, um obelisco na forma de pássaro, foi construído há cerca de 40 ano, em memória da travessia área do Atlântico Sul, realizada em 1922 pelos aviadores Gago Coutinho e Sacadura Cabral.

Denominada oficialmente como “Estátua do Pássaro”, trata-se de um monumento do género “comemorativo” e uma “obra de embelezamento”, segundo informação publicada anteriormente pelo Instituto do Património Cultural (IPC).

O hidroavião “Lusitânia” fez história em 1922 ao ligar o Atlântico, mas a passagem dos “aviadores” portugueses Gago Coutinho e Sacadura Cabral por São Vicente permanece na memória daquela ilha cabo-verdiana.

Além de ter sido a primeira travessia aérea do Atlântico Sul, foi também o primeiro voo que Cabo Verde recebeu.

No final do dia 05 de abril de 1922, o hidroavião Fairey III D Mkll – o primeiro de três usados naquela histórica travessia – amarou na baía do Mindelo, ilha de São Vicente, depois de uma viagem de 10 horas e 43 minutos para percorrer 1.572 quilómetros, desde as Canárias, que tinham sido a primeira paragem após a saída de Belém, Lisboa, em 30 de março.

A estátua está incluída nos monumentos de arte urbana, com valor simbólico e artístico localizado em todos os municípios de Cabo Verde, segundo o Ministério da Cultura.

Lusa

 

Artigo editado no dia 25/07/2022

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest