Ministro da Cultura destaca importância do “enraizamento da cultura” nos programas sociais

O ministro da Cultura destacou hoje a importância da “cultura estar enraizada” nos programas de cariz social de forma a promover a inclusão dos jovens com necessidades especiais e contribuir no empoderamento das suas comunidades.

Abraão Vicente fez estas considerações à imprensa, à margem de uma visita que efectou na manhã de hoje às instalações da Colmeia e Acarinhar, na Cidade da Praia, no âmbito do Dia Nacional da Cultura e das Comunidades, que se assinala hoje.

Conforme explicou, o Ministério da Cultura quis com esta visita mostrar que a cultura ultrapassa fronteiras de entretenimento e espectáculo, lembrando que a Colmeia e Acarinhar, que são associações que trabalham com crianças e adolescentes com necessidades especiais, foram beneficiados com bolsas de acesso à cultura.

“A cultura quando enraizada nos programas sociais tem benefícios para todas as pessoas, quando vemos as famílias de alguns jovens com algum tipo de dificuldade ou aprendizagem com os jovens ditos normais eles estão unidos através da cultura e contribuem no empoderamento das suas comunidades”, declarou.

Segundo avançou, o Ministério da Cultura tem programado um leque de actividades para assinalar o Dia Nacional da Cultura e das Comunidades em todo País, salientando que a efeméride é celebrada de forma transversal.

Disse, por outro lado, que o programa Bolsa de Acesso à Cultura é o único do Ministério da Cultura que não teve cortes de financiamento, pelo seu cariz e âmbito social que tem beneficiado cerca de 80 escolas e 3.500 alunos.

“Neste momento estamos em negociações com o Ministério da Família para a mobilização de mais verbas porque ao fazer a avaliação dos programas sociais do governo, é um dos que tem dado mais consistência e resultado”, asseverou, prometendo junto dos parceiros mobilizar mais verbas para garantir o financiamento do referido programa.

O Dia Nacional da Cultura é assinalado com várias actividades sob o lema “Pela cultura que nos une”.

As actividades programadas serão realizadas através das estruturas do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, em parceria com o Ministério das Comunidades e as autarquias durante cerca de um mês, em todas as ilhas.

Mensagem à comunidade cabo-verdiana na diáspora, uma conferência internacional das comunidades sobre “Integração dos emigrantes nos respectivos países de acolhimento”, a realizar-se na Cidade da Praia, um workshop sobre a lista indicativa da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) “Turismo, Património e Sustentabilidade” e palestras, são algumas actividades programadas.

A Direcção-geral das Artes e das Indústrias Criativas tem também programado, de entre outras actividades, uma exposição de artes plásticas, intitulada “Virtuosas”, do artista guineense Elsie Mafouta, no Palácio da Cultura Ildo Lobo.

Numa parceria entre o Centro Cultural do Mindelo, o Centro Nacional de Arte, Artesanato e Design, a Comissão Nacional de Cabo Verde para Unesco, a Biblioteca Nacional de Cabo Verde, entre outras instituições, também estão programadas inúmeras actividades celebrativas do mês da Cultura e das Comunidades, como exposições, momentos musicais, feiras de livros, conversas abertas, fóruns, workshop, publicações, conferências e roteiros gastronómicos.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest