Ministro da Cultura propõe transformação dos CVMA numa empresa com participação dos artistas

O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas propôs hoje, na cidade da Praia, que os Cabo Verde Music Awards (CVMA) se transformem numa empresa em que os artistas sejam os acionistas.

Abraão Vicente, que deixará as pastas de ministro da Cultura e das Indústrias Criativas e do Mar no final do mês de Julho para se preparar para as eleições autárquicas, sendo concorrerá como candidato do MpD (poder) à presidência da Câmara Municipal da Praia, fez estas declarações à imprensa à margem do encontro que manteve hoje com os artistas e a organização dos CVMA.

“Inicialmente pensaram numa associação, mas eu sugeri que fosse uma fundação”, declarou o ministro, no sentido também, continuou, de ter outros mecanismos de mobilização de fundos internacionais, nomeadamente para formação, para expertise, financiamento internacional e recepção de fundos que existem a nível internacional para promoção da música.

“Mas eu aqui avancei um pouco mais, que a ideia dos CVMA serem de facto uma espécie de empresa onde os artistas são acionistas”, vincou.

O que o ministro sugere é que os próprios artistas contribuam como acionistas, investindo parte de seus dividendos, especialmente provenientes de propriedade intelectual, para melhorar a qualidade do evento, do espetáculo, da música e do merchandising associado.

Além disso, essa iniciativa visa incentivar a presença dos artistas nomeados, aumentando o prestígio do evento.

Instado se esta proposta seria para substituir a Sociedade Cabo-verdiana de Autores (Soca) que se encontra de portas fechadas por problemas na prestação de contas, o governante respondeu que não e reforçou a necessidade de transparência na utilização dos recursos provenientes da lei da cópia privada.

“Não, repara, criamos uma lei, um dos passos que nós demos e que eu considero como crucial na consolidação das indústrias criativas em Cabo Verde foi a publicação da nova Lei de Direitos do Autor e, segundo, a lei que cria as regras de funcionamento das entidades gestoras de propriedade intelectual”, salientou Abraão Vicente sustentando a importância de tanto a Sociedade Cabo-verdiana de Música e (SCM) e Sociedade Cabo-verdiana de Autores, (SOCA) de mostrar como as verbas estão sendo empregues.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest