Organização do TMC e público bravense pedem maior participação de candidatos nas próximas edições

A organização do Tudo Mundo Canta (TMC) e o público presente na primeira sessão pedem uma maior participação de candidatos nas próximas edições, justificando que a Brava possui “vários talentos escondidos”.

Em declarações à Inforpress, Edna Oliveira, vereadora responsável pelo Pelouro da Cultura na Câmara Municipal da Brava, organizadora do evento, fez um balanço positivo desta primeira sessão realizada na noite deste domingo, onde participaram cinco candidatos e ambos revelaram os seus talentos.

Entretanto, Edna Oliveira lamentou a “fraca” participação, justificando que o primeiro objetivo desta atividade é apoiar os jovens com talento, tendo em conta que muitos bravenses têm reclamado da falta de oportunidade.

Segundo a mesma fonte, há já vários anos que atividades do tipo não foram realizadas na Brava e o intuito é dar continuidade, pois Brava “é uma ilha de música e com muito orgulho de ser o berço do nascimento do Poeta Eugénio Tavares”, não podendo deixar esta tradição morrer.

Da parte dos candidatos, Silene dos Reis, a única candidata do sexo feminino, fez uma “avaliação positiva” e parabenizou pela organização do evento, destacando que além de conseguir cantar para demonstrar o seu talento, teve a oportunidade de apresentar uma das suas próprias composições.

Da mesma forma pediu a outros jovens que participem nas próximas edições, recordando-lhes que são eles os próprios protagonistas das suas histórias e é aproveitando as oportunidades que se vai longe.

Igualmente, Pedro Américo, um outro concorrente, corrobora a opinião da sua colega, realçando que não só a organização, mas o público também está de parabéns pelo apoio que ofereceu aos candidatos, augurando que este evento se perpetue e seja realizado mais vezes, dando assim oportunidade a outros talentos que não tiveram a “coragem” de participar logo a primeira.

Não obstante às oportunidades, Pedro Américo recordou que esta é a forma de ter um candidato apto e legal para representar a Brava em atividades do tipo fora da ilha.

O público também fez uma ótima avaliação do evento, como é o caso de Júlio Fernandes, que outrora já foi membro do júri em eventos do tipo, salientando que evento do tipo já se fazia necessário porque há muitos anos atrás era um evento com muita reputação e contava com uma boa participação dos jovens.

“Na Brava a nossa maior referência e identidade é a música, e se um dos melhores compositores do País, Eugénio Tavares, e muitas outras referências nasceram na ilha, é porque ainda é possível ter muitos outros talentos”, disse a mesma fonte, considerando que as apresentações deste domingo foram dotadas de “muita mestria”.

Esta edição do TMC enquadra-se nas atividades culturais para as festividades do Dia do Município e do Santo Padroeiro, São João Batista, comemorado a 24 de Junho.

Serão realizadas três sessões descentralizadas, sendo a primeira em Nossa Senhora do Monte levada a cabo este domingo, a segunda na localidade de Furna e a final em Nova Sintra onde será conhecido o vencedor dos cinco concorrentes.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest