Polícia dispersa tumulto em funeral de músico “Nagrelha”

A polícia angolana dispersou com gás lacrimogéneo um tumulto perto do cemitério de Santa Ana, onde foi sepultado o músico kudurista “Nagrelha”. Um jovem morreu e 33 pessoas ficaram feridas. Houve ainda 18 detenções.

As cerimónias fúnebres do músico, que morreu na sexta-feira, atraíram uma multidão de milhares de angolanos no que será o maior funeral de sempre em Luanda.

Esta manhã havia ainda centenas de pessoas no Estádio da Cidadela, onde decorreram as homenagens, e de onde saiu um cortejo a pé, em candongueiros e com milhares de motoqueiros em direção ao cemitério de Santa Ana.

A grande concentração de pessoas levou a polícia a intervir, ouvindo-se disparos, já que apesar de estarem mobilizados 800 agentes, a polícia teve dificuldade em controlar os grandes aglomerados.

Um morto e 33 feridos

Em declarações à Lusa, o porta-voz do comando provincial de Luanda da Polícia Nacional, superintendente Nestor Goubel, afirmou, entretanto, que um jovem morreu e 33 pessoas ficaram feridas durante o evento. A vítima mortal, adiantou o superintendente, será um adolescente de 13 ou 14 anos, que morreu asfixiado.

Em comunicado, a polícia afirma que, “face à tentativa de invasão do cemitério, as forças policiais foram obrigadas a dispersar a multidão desordeira”.

Durante a operação de reposição da ordem pública registou-se a morte de um menor ainda por identificar, e ferimento em 16 efetivos da polícia, dos quais dois com gravidade (esfaqueados), e 17 cidadãos.

Registaram-se também danos materiais, nomeadamente em quatro viaturas da polícia e cinco autocarros vandalizados, uma motorizada carbonizada e numa esquadra móvel, bem como o roubo de botijas de gás e grades de cerveja em quantidade não determinada.

18 detidos

“Foram detidos 18 cidadãos suspeitos de práticas indecorosas”, acrescentam as autoridades.

O comunicado refere que se previa “uma moldura humana considerável” face à legião de fãs do kudurista, bem como a notícias veiculadas nas redes sociais que davam conta de incitação a práticas de desordem social, roubos e arruaças, pelo que foi definido um conjunto de medidas “com vista a anular todas as ameaças”.

Gelson Caio Manuel Mendes, mais conhecido como “Nagrelha”, o mais célebre cantor do estilo musical kuduro, morreu aos 36 anos em Luanda devido a um cancro no pulmão, segundo o Complexo Hospitalar de Doenças Cardiovasculares D. Alexandre do Nascimento, onde se encontrava internado.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us

Agenda