Retrospetiva/Cultura: Retoma do Carnaval e promoção e valorização da morna e batuku foram os destaques do ano

A retoma do Carnaval, manifestação cultural celebrado em todo o país, com destaque para as ilhas de São Vicente e São Nicolau, e eventos de promoção e valorização do batuku e da morna, património da Humanidade, assinalaram o ano 2023.

Para além do Carnaval, paralisado durante dois anos devido à pandemia da covid-19, Cabo Verde manteve ao longo deste ano uma cena cultural rica e diversificada.

Houve uma variedade de festivais de música e eventos que destacam a riqueza da cultura cabo-verdiana, nomeadamente a segunda edição, em Assomada, do “Maior tereru di batuku do mundo”, que reuniu 57 grupos de batucadeiras, visando a sua internacionalização. Destaca-se também o Festival da Morna em São Nicolau e a Morna Fest em alguns pontos do país.

No entanto, ao percorrer a história e o património, Cabo Verde continuou os esforços, por meio do Instituto do Património Cultural (IPC), para concluir a preparação da Candidatura da Tabanca como património da humanidade pela Unesco, cuja entrega foi adiada para 2024.

Igualmente, o Comité Nacional Cabo-verdiano da Memória do Mundo (CNC-MEMU) definiu como principal desafio deste ano o lançamento da primeira candidatura ao Registo Memória do Mundo, a ser submetido na próxima chamada da Unesco, em 2024.

O Dia Nacional da Cultura e das Comunidades, celebrado em 18 de Outubro, teve o seu acto central realizado este ano em Lisboa, Portugal.

No âmbito dos museus, o Campo de Concentração do Tarrafal segue o museu mais visitado no país, com 6.428 visitantes só no primeiro semestre, e o IPC continua a trabalhar para tornar os museus do país mais inclusivos, mas aponta para a fraca adesão dos nacionais.

O Ministério da Cultura lançou vários editais de financiamento, mormente o de Fomento à Criação Artística Nacional.

Também, rendeu homenagens a figuras ilustres cabo-verdianas que contribuíram para o enriquecimento da cultura cabo-verdiana, entregando, por exemplo, o busto da cantadeira Maria Bárbara “embaixadora da morna” edificado na Povoação Velha, ilha da Boa Vista.

Entretanto, a Associação Cesária Évora e o Governo continuam a buscar soluções para a construção do Museu Cesária Évora, em São Vicente, e dignificar a memória da “Diva dos pés descalços”.

Em termos de infraestruturas, o IPC destaca o percurso assinalável do arquipélago a nível de reabilitação do património histórico e cultural, tendo requalificado 12 coberturas das casas da Rua de Banana, na Cidade Velha Património da Humanidade, que passará por “uma grande transformação” até 2026, com a implementação de projetos em curso.

Na literatura, o Presidente da República deu à estampa o seu segundo volume de “No Ofício do Bem Comum”, livro que regista as suas intervenções no segundo mandato, e ainda foi eleito para liderar a preservação do Património Natural e Cultural em África.

Um outro acontecimento que marcou a atualidade informativa no ano de 2023 é o XI Encontro de Escritores de Língua Portuguesa (EELP) que decorreu na capital cabo-verdiana e homenageou Amílcar Cabral.

No cinema, estreou o documentário “Mar Liso”, que narra a história deste último barco de madeira que ainda navega nos mares de Cabo Verde, e o documentário “Cesária Évora”, da realizadora portuguesa Ana Sofia Fonseca, recebeu inúmeros prémios, mormente o de Melhor Documentário na 12ª edição do Prémio Sophia, atribuído pela Academia Portuguesa de Cinema (APC).

No teatro, o ano que ora finda ficou assinalado pelos grandes festivais internacionais, TEARTI, na Praia, e Mindelact, no Mindelo.

Os tradicionais festivais musicais decorreram por todo o país, com especial destaque ao festival da Gamboa, na cidade da Praia, Festival Internacional de Baía das Gatas, em São Vicente, e Festival Internacional de Santa Maria, na ilha do Sal.

Todavia, o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, defendeu criação de salas de espetáculos para grandes concertos, bem como a profissionalização dos festivais no País, e já alertou que o orçamento para 2024, de 527,7 mil contos é “insuficiente” para atender às necessidades do sector, apesar de ser o maior recebido deste Governo.

Cabo Verde Music Awards 2023 (CVMA) aconteceu pela primeira vez em Santa Maria, ilha do Sal, e consagrou a cantora Soraia Ramos com o prémio Música do Ano, “BKBN (Bo Ka Bali Nada).

Os artistas cabo-verdianos continuam a representar Cabo Verde no estrangeiro, por exemplo Lizandro Cuxi conquistou o prémio de Melhor Artista da África Lusófona no Trace Awards 2023.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest