São Vicente: Concurso Cota Zero pretende premiar criadores do país e da diáspora com bolsa de 150 contos

O projecto Cota Zero,  a ser implementado no próximo ano pelo Centro Nacional de Arte Artesanato e Design (CNAD),  deverá premiar jovens criadores no País e na diáspora com uma bolsa de 150 contos.

A informação foi avançada hoje à imprensa pelo director do CNAD, Artur Marçal, à margem da apresentação do projecto na rubrica “Grandes Conversas” da Feira de Artesanato e Design (URDI), que decorre no MIndelo.

Conforme explicou a mesma fonte, o “Cota Zero” é um concurso destinado a jovens criadores cabo-verdianos residentes em território nacional ou na diáspora, com idade máxima até 35 anos, e visa, sobretudo, reconhecer e incentivar o desenvolvimento de criação artística na área das artes visuais

“O que estamos a propor é proporcionar condições logísticas e financeiras para que estes jovens concorram entre si e possam expor os seus projectos dentro da programação do CNAD”, sublinhou Artur Marçal, adiantando que se vai atribuir uma bolsa de 150 mil escudos, depois de uma avaliação dos trabalhos por um júri a ser constituído.

A ideia, segundo a mesma fonte, é ter em cada ano dois projectos seleccionados e os integrar na programação do centro, algo a ser implementado a partir de 2024.

As actividades da URDI, no Mindelo, prosseguem até domingo, 03, com actividades paralelas e a mostra de artesanato e design, distribuída em 127 stands, das diversas ilhas.
 
Inforpress/Fim
 
 
 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest