Talasso Salim e Mário Loff dão “cunho especial” ao III Volume da obra “Mulheres e seus Destinos”

O III Volume da obra “Mulheres e seus Destinos” que desta feita vai comportar dois livros, prosa&poesia e pinturas, a ser apresentada a 8 de Março, conta com o “cunho especial” de Talasso Salim e Mário Loff.

A obra, que conta com mensagens especiais em homenagem a Germano Almeida, Prémio Nobel Camões 2018 e a escritora contista, poeta e romancista Carlota Alves, homenageada em Abril de 2022 pela SOCA, tem ainda como propósito social e solidário apoiar a Associação para o Desenvolvimento de Chã das Furnas e Fundação Sima Júlia com as receitas com a venda.

A informação avançada à Inforpress pela mentora e coordenadora do projeto, Lena Marçal, dá conta ainda de dois destaques, devido às sinopses pelos escritores Marcelo Talasso Salim e Mário Loff.

O resumo que pretende expor o primeiro livro “Prosa&Poesia”, segundo Lena Marçal, destaca as partes mais relevantes da obra com intuito de despertar o interesse e apresentar ao leitor o essencial dos textos que norteiam todos os outros divulgados na obra.

Por isso, nesta edição do III Volume da obra “Mulheres e seus Destinos”, Marcelo Salim, o responsável pelo livro Poema/Pintura, começou a sua apresentação parabenizando a mulher cabo-verdiana pela sua iniciativa de criar um projeto que resgate o valor das mulheres de Cabo Verde e das do resto do mundo.

“Falar sobre a mulher já é, por si só, uma grande responsabilidade, um desafio. Falar sobre a fêmea, o feminino, a menina, a moça, enfim, todos esses termos que nos ilude as ideias, pois
são substantivos e adjetivos que nos sugere alguém sensível e sempre frágil, pequeno e sem
dinamismo, sem coragem ou força, o que nem sempre é verdade. Há inúmeros homens que são mais fracos em situações adversas que muitas mulheres que todos conhecemos em particular ou na história”, escreve, realçando que as mulheres, não obstante o seu porte físico menor, são estrategistas.

Na sua missão de escrever a sinopse do livro de Poema/Pintura, Marcelo Salim conta um pouco sobre a história da mulher na pré-história em que, provavelmente, apenas ficava na caverna cuidando das crianças, animais domésticos e alimentando o fogo para quando o homem chegasse trazendo os suprimentos, para chegar aos dias de hoje em que, segundo escreve, elas não param, pensam, anunciam, são mães sozinhas e, às vezes, sem mães.

“Beija, ama, protege, trabalha, luta e ampara, tudo ao mesmo tempo. São irmãs e companheiras. Constroem mais do que destroem. Fico até pensando se no mundo houvesse um número ainda maior de mulheres, se não haveria menos guerras entre outras atrocidades”, interroga, realçando as conquistas feitas pelas mulheres ao longo dos anos.

Marcelo Talasso Salim é autor do livro “Memórias de um pai estoico”, é médico cirurgião geral, formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e mestre em gastrocirurgia na UNIFESP/Escola Paulista de Medicina.

No livro Prosa o responsável pela apresentação é o historiador e escritor, Mário Loff, que começa por falar da dificuldade em escrever um texto de abertura de uma obra para cativar um leitor ou leitores, apesar da iniciativa que a obra carrega, ressaltando, entretanto, a gratidão de escrever “humildes linhas” para compor o pensamento ao ideário do leitor que espera desfrutar dois volumes da obra.

“Aqui se encontra diversos tipos de criação poéticas, seja ela em outras línguas ou em nossas línguas, porque poesia, meus amigos, poesia é para se comer tinha dito o poeta (…) a mulher ao longo do tempo experimentou, adaptou e reinventou, galgar montanhas das coisas proibidas e tidos como perdidas para a causa feminina, pois, elas estão no topo da cadeia da ousadia e da luta pela igualdade (…)”, disse elevando a grandeza das mulheres de hoje “mais que os seus avôs que ficavam em casa a soprar o cozido e o frito, silêncio e o grito”.

As mulheres de hoje, segundo realça, criam obras, como caso desta que compõem oitenta e quatro mulheres e dez homens.

Refere ainda que “se antes a ousadia das mulheres de países desenvolvidos que começaram mais cedo pela luta dos direitos e a emancipação eram vistas com uma certa preocupação de distanciamento, hoje aproximamos e partilhamos pontos de vista através da arte e outras formas de expressão, como prova disso”.

Evoca ainda o facto da edição do III volume da obra “Mulheres e seus Destinos” contar com a presença de várias nacionalidades como a portuguesa, brasileira, espanhola, moçambicana, cabo-verdiana e a extensão das nossas ilhas na diáspora nos Estados Unidos de América e Brasil.

Para finalizar, realça o sucesso da obra que, no seu entender, mostra claramente que a literatura une os povos, mais do que tudo, e colocando a mulher no centro de tudo, a quem acredita que a sua força criadora merece esta homenagem, merecem ser artisticamente “transgressoras”.

Mário Loof é historiador, escritor prismático e ativista cultural e é autor da obra o “Rapto da primeira-dama” e presidente da Associação Literária de Tarrafal de Santiago.

O I volume da antologia “Mulheres e o seu Destino”, contou com a participação de 180 mulheres de 15 nacionalidades e faturou 150 mil escudos que foi distribuído a Associação Cabo-verdiana de Luta contra a Violência Baseada no Género (ACLCVBG) e a Associação Cabo-verdiana de Luta contra o Cancro (ACLCC).

O II volume da obra contou com a participação de 240 mulheres de 18 nacionalidades e a receita arrecadada de 200 mil escudos beneficiou o Centro de Acolhimento para Crianças com Vulnerabilidades Especiais (CACVE) em São Vicente.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us

Agenda