Tito Paris e Prétu presentes na “Vitrine dos artistas” da Womex 22 que decorre de 19 a 23 de Outubro em Lisboa

 Tito Paris e o projeto luso-cabo-verdiano Prétu estão entre os artistas lusófonos da “Vitrine dos artistas” da Womex 22 (Worldwide Music Expo) que tem a próxima edição marcada para 19 a 23 de Outubro em Lisboa.

Além de Tito Paris e Prétu (Chullage), da lusofonia vão estar Pedro Joia, Duarte e Ana Lua Caiano (Portugal), Quarteto Kastrup e Bia Ferreira (Brasil), e Karyna Gomes (Guiné-Bissau) vão actuar no “Palco Lusofónica”, que conta com o apoio da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), com destaque para artistas da comunidade de nações lusófonas e da diáspora lusófona.

Artistas de Chade, Canadá, Argentina, França, Mali, Áustria, Reino Unido, Nigéria, Marrocos, Cuba, Irlanda, Noruega, Argélia, Turquia, Alemanha, Estônia, Estados Unidos da América, Palestina, Gana, Correia do Sul, Tunísia, Espanha, Chile, Colômbia, Israel, Austrália, África do Sul, Japão, Índia, México, Polónia e Madagáscar estarão também a atuar.

Segundo a organização, a Womex é o encontro musical “mais internacional e culturalmente diverso” do mundo e a “maior conferência” do cenário musical global, com feira, palestras, filmes e shows de vitrine.

De acordo com a mesma fonte, mais de 2.600 profissionais de 90 países se reúnem em Outubro, na “principal plataforma de networking” para a indústria musical mundial.

Sete palcos, cerca de 700 empresas expositoras, mais de 100 palestrantes, filmes, um concerto de abertura e uma cerimónia de premiação vão fazer parte de cinco dias do evento que tem como objetivo “apoiar e fortalecer” o papel da cultura em todo o mundo e difundir seus valores através da promoção da criatividade e da arte.

Todos os anos, a Womex começa com uma noite de abertura, destacada pelo concerto de abertura, que se concentra em um país específico ou região musical e é produzido por especialistas dessa área.

A Abertura Womex 22, denominada “Lisboa Sounds – The New Traditional Lisboa”, vai apresentar quatro projetos musicais que estão “reinventando a tradição”, nomeadamente Beatriz Felício, Clube Makumba, Expresso Transatlântico e Júlio Resende.

“O evento continua dedicado a facilitar e promover a indústria musical global e fornecer uma plataforma para conectar, inspirar e compartilhar experiências, possibilitando novas parcerias entre mercados transcontinentais e um diálogo cultural económico e internacional aberto”, sublinhou a organização.

Com 28 anos de existência, a Womex teve a edição de 2021 no Porto (Portugal), de 2020 teve edição ‘online’, 2019 foi em Tampere, Finlândia, 2018 em Las Palmas, Gran Canaria, Espanha, e 2017 foi em Katowice, Polónia.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us