URDI: Sanicolausenses “invadem” Praça Nova com cheiro e gosto da farinha de pau

Quem passou hoje pela Praça Nova (Praça Amílcar Cabral), no Mindelo, com certeza não ficou indiferente ao cheiro de farinha de pau, “iguaria” feita `in loco´ pelos representantes do município de Tarrafal de São Nicolau.

Como um dos municípios destaque da 8ª edição da Feira de Artesanato e Design (URDI), juntamente com São Filipe (Fogo), os sanicolauenses de Tarrafal quiseram deixar a sua marca, trazendo a São Vicente uma demonstração ao vivo da fabricação de um dos produtos mais famosos da sua terra, a farinha de mandioca, popularmente conhecida como farinha de pau.

Um processo revelado aos mindelenses desde o descascar da mandioca, passando pelo ralar e a secagem nas esteiras, que estiveram na tarde de hoje estendidas em plena rua da praça central da cidade do Mindelo.

“O nosso objectivo é mostrar um lado cultural em termos de prática da farinha de pau, que é um produto típico da ilha de São Nicolau”, explicou o representante da equipa, Silvino Brito.

Após a farinha estendida nas esteiras, é preciso, conforme a mesma fonte, que esta atinge o ponto ideal de secagem, para depois se “tenter” (sacudir) na bandeja, antes de passar pelo forno, que, no caso foi construído de bloco, na hora, nos arredores dos stands do município.

O forno improvisado seria destinado para o “ilhar” (torrar) a farinha.

Silvino Brito, que é também presidente da Associação Comunitária de Fragata, uma das zonas de produção da farinha de pau, revelou à Inforpress, que em São Nicolau costumam fazer a “munduda”, uma espécie de cuscuz, confeccionada antes da farinha atingir o ponto ideal de forno.

“Antes de atingir o ponto no tacho, apanhamos e enrolamos numa toalha, depois de retirada fica em forma de uma bola, que podemos guardar e depois comer tipo um cuscuz”, sublinhou, adiantando que pelo apertar da hora não seria possível fazer o processo para os sanvicentinos.

Entretanto, para os amantes da farinha de pau, importa o processo mais adiante, em que a mandioca já está mais seca e fria, pronta para ser deliciada ao gosto do freguês, com açúcar, leite, com toucinho e outras formas que a imaginação e o paladar apetecer.

E é essa iguaria, que os mindelenses presentes na URDI estiveram convidados a degustar nesta sexta-feira, dia reservado ao município do Tarrafal, que ainda mostrou a sua cultura através de desfile de São João e dança e teatro com o grupo Raiz de Dragoeiro, no Centro Cultural do Mindelo

No programa consta ainda um concerto, na Praça Nova, com artistas naturais da ilha de São Nicolau, entre estes Revan Almeida, Fatinha, Ivone Ramos, Zé Cakay, Didi & sr. Tomás.

A feira de artesanato e design, formada por 127 stands de artesãos e designers das diferentes ilhas, continua até domingo, 03, no Mindelo, com diversas actividades.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest