Coleção da estilista Ângela Brito inspirada nas festas de Nhu Santo Amaro apresentada no São Paulo Fashion Week

Em entrevista ao Balai, a estilista cabo-verdiana que reside há quase três décadas no Brasil diz que a apresentação de ‘Romaria’ “foi impecável e emocionante em todos os detalhes”.
Fotos cedidas pelas estilista Ângela Brito

“Romaria” é o nome da nova coleção que a estilista cabo-verdiana Ângela Brito apresentou na 56.ª edição do São Paulo Fashion Week (SPFW), que aconteceu de 8 a 12 de novembro na cidade de São Paulo, no Brasil. A coleção foi inspirada nas festas devotas de Cabo Verde e do Brasil, país onde reside há quase três décadas.

Apesar de ter decidido em não participar na edição deste ano do maior evento de moda da América Latina devido a outros compromissos, motivada pela organização, a estilista mudou de ideia e diz que a apresentação de Romaria “foi impecável e emocionante em todos os detalhes”.

“Todos os anos apresento uma nova coleção independentemente se vou desfilar ou não. A trajetória da minha marca não está vinculada a uma semana de moda ou a um desfile. (…) Decidi participar seis semanas antes do São Paulo Fashion Week e mesmo assim foi um processo absolutamente tranquilo porque a coleção já estava pronta”, conta em entrevista ao Balai.

Segundo Ângela Brito, as pesquisas para a nova coleção iniciaram em janeiro deste ano durante as festas de Nhu Santo Amaro na ilha de Santiago. “Coletei tudo o que precisava e iniciei os trabalhos em Cabo Verde. Quando regressei ao Brasil dei continuidade e culminou nesta apresentação que todos dizem que foi impecável.”

Esta que é a quinta apresentação da cabo-verdiana no São Paulo Fashion Week foi pensada ao mínimo detalhe. A entrada das modelos na passarela foi acompanhada com a projeção de imagens feitas durante a prova dos modelos, bem como detalhes de cada peça. Para a trilha, Ângela decidiu abrir com Rabelados de Santo Amaro, música que a remete a esta festa de romaria. “Nasci no concelho de Santo Amaro, logo tenho uma ligação grande com o santo”, diz e acrescenta que as festas dos santos sempre a fascinaram e que este ano pretende acompanhar as festividades de Santa Catarina que não acompanha há quase 30 anos.

“O desfile abre com Rabelados que convida as pessoas para a Romaria e depois temos Mirri Lobo com Encmenda de Terra, seguido de uma demo inédita de Dino D’ Santiago, “Bersu d’Oru” de Elida Almeida que é o ponto alto do desfile com a entrada das peças estampadas, depois segue uma música de Cesária Évora e por fim Mayra Andrade. (…) A trilha foi trabalhada segundo a segundo para que tudo se encaixasse com a entrada das modelos”, diz a estilista que em setembro deste ano (2023) foi nomeada uma das cinco marcas brasileiras mais relevantes para concorrer na mesma categoria na América Latina.

As estampas das peças são assinadas pelo artista plástico brasileiro Maxwell Alexandre, que juntamente com uma igreja costuma promover peregrinações pelas ruas da cidade do Rio de Janeiro. As pinturas foram feitas com base em fotos que a própria estilista fez durante as festividades de Nhu Santo Amaro. “Foi uma parceria fascinante e incrível.”

O desfile contou com a presença da mindelense Cindy Cruz, que reside há vários anos no Brasil, e do marido desta, o ator Paulo Lessa, que segundo a estilista tem uma ligação forte com Cabo Verde.

No ano passado, a estilista natural da ilha de Santiago apresentou a coleção “Estrangeira” no SPFW. Segundo Ângela Brito, todas as suas coleções têm “um fio condutor de algum questionamento” e Romaria surgiu do questionamento sobre a origem da marca.

Segundo Ângela Brito, hoje em dia a sua marca tem um reconhecimento muito sólido no mercado brasileiro e espera que isso realmente impacte o mercado cabo-verdiano. “(…) Acredito que mesmo longe de Cabo Verde tenho contribuído imensamente para mudar o olhar sobre a nossa tradição, bem como a maneira de ver principalmente a nível do vestuário.”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest