Grupo de cabo-verdianas quer desconstruir a ideia de que as mulheres não se podem apoiar mutuamente

O Kriola's Who Brunch surgiu há cerca de um ano pela iniciativa da jovem médica cabo-verdiana Fanny Martins que aposta nas redes sociais para falar sobre a saúde mental, o empoderamento feminino e a aceitação corporal, entre outros temas, que aborda na sua página Falar Tabu.
Foto cedida

Desde julho de 2021 que um grupo de mulheres cabo-verdianas passou a reunir-se mensalmente para falar sobre temas como empreendedorismo, autoestima, saúde mental, relacionamento, positividade corporal, entre outros. Em entrevista ao Balai, a médica Fanny Martins explica como surgiu a iniciativa Kriola’s Who Brunch.

“No meu retorno a Cabo Verde, depois de viver 11 anos fora, senti-me sozinha. A minha vizinhança não era mais composta por pessoas familiares porque a maioria também foi viver fora, as amigas que eu tinha deixado para trás, já eram casadas e com filhos. Senti-me como um peixe fora de água. Já tinha uma conexão com as Queens (mulheres de poder como gosto de chamá-las) através da minha página Falar Tabu no Instagram, mas senti uma necessidade maior de me sentar e conversar com as pessoas cara a cara”.

Em conversa com uma amiga (Telma) que também estava de regresso a Cabo Verde, nasceu a ideia de um encontro de mulheres para partilhar experiências e dificuldades do dia a dia. Assim nasceu o grupo Kriola’s Who Brunch (com o significado de kriolas que tomam café) cujo primeiro encontro aconteceu em 2021.

Segundo a mentora, “as integrantes do grupo são mulheres que estão numa caminhada para o desenvolvimento pessoal”. Principalmente, “cabo-Verdianas espalhadas pelo mundo e em Cabo Verde. Trabalhadoras, empreendedoras, mães”.

Apesar de ter surgido pela mão da Fanny Martins, a jovem médica salienta que o projeto pertence a todas as integrantes e por isso, mensalmente, cada integrante do grupo tem a oportunidade de ficar como responsável pela organização dos encontros.

Os temas dos encontros mensais são diversos e vão desde a educação financeira e empreendedorismo, como também a autoestima, traumas do passado, a saúde mental, sexo e relacionamento, positividade corporal, entre outros

Paralelamente aos encontros semanais, as mulheres do Kriola’s Who Brunch partilham ideias, experiências num grupo de WhatsApp. “É realmente o grupo de suporte, onde sentes que tens mulheres para te ajudar e te apoiar.”

Nas palavras de Fanny Martins, “a iniciativa é uma desconstrução da ideia que mulheres não podem apoiar uma a outra”, por isso acredita que numa sociedade como a nossa onde “nos deparamos com rivalidade diária entre mulheres”, o Kriola’s who brunch é muito importante.

A jovem salienta ainda que pessoalmente tem apreendido muito no que “ diz respeito à liberdade financeira. Esse grupo é um networking poderoso. “Sinto orgulho de estar como mulheres que oferecem mais do que beleza externa, mulheres fortes, vulneráveis, inteligentes e extremamente acolhedoras! Agradeço cada uma das Queens!”

A 24 de julho, próximo domingo, assinalam o seu primeiro aniversário com um Brunch virtual, o primeiro encontro online, já que a mentora do projeto não se encontra de momento em Cabo Verde. “Decidimos fazer essa comemoração de uma forma virtual, para que possamos atingir um público maior de Queens espalhadas pelo mundo”.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us