Miguel Duarte: “Quero ser uma referência para os jovens em Cabo Verde”

Tem 27 anos e já trabalhou em várias áreas como modelo, protocolo, apresentador de eventos, mestre de cerimónias, comissário de bordo, guia turístico. Atualmente é um dos rostos do programa Manhã Kriola da Televisão África, TVA. Em entrevista ao Balai CV, Miguel Duarte diz que inspirar os jovens, principalmente aqueles oriundos de comunidades mais desfavorecidas, é uma das suas maiores ambições.

Natural do bairro de Lém Ferreira, na cidade da Praia, Miguel Duarte é um jovem dinâmico que desde os 16 anos começou a ter ideias de negócios. Chegou, inclusive, a criar uma loja online de venda de roupa.

“Sempre gostei da área de vendas, infelizmente a minha família sempre cortou as minhas asas”, diz o jovem que chegou a trabalhar como protocolo, apresentador de eventos e modelo para ter rendimento.

Em julho de 2016, após desistir do curso de Relações Internacionais e Diplomacia, rumou para Portugal para fazer uma formação de Comissário de Bordo.

“No início nem estava a pensar em exercer a profissão. Quando regressei ao país havia um défice de profissionais nessa área, decidi entregar o meu currículo na companhia Binter Cabo Verde e chamaram-me para uma entrevista. Em outubro, fiz uma formação (para ATR) e, em menos de três meses, estava a trabalhar na companhia”, conta.

’Ir para os TACV foi a melhor escolha que já fiz na vida’

O sonho de Miguel sempre foi voar mais alto. Em abril de 2019, trocou os voos nacionais da Binter para os internacionais da companhia nacional, TACV, tendo mudado para a ilha do Sal onde ficava a base da companhia nacional.

“A minha paixão pela profissão aumentou com os voos internacionais”, salienta e diz que viajou para países como Itália (Roma e Milão), França (Paris), Brasil (Fortaleza, Recife e Salvador), Estados Unidos da América (Washington e Boston) e Senegal (Dakar).

Em agosto de 2020, em plena pandemia da covid-19, vários trabalhadores da companhia nacional foram despedidos, e o nome de Miguel constava na lista. “Não me esqueço do dia em que recebi o email da administração da empresa a informar a suspensão do contrato de trabalho. Para mim foi um balde de água fria. Custou-me aceitar. Embora a carta dizia que a situação poderia vir a melhor, já sabia que o laço tinha acabado.”

Apesar da experiência nos TACV ter sido curta, Miguel não se arrepende de ter mudado de companhia aérea. “Em um ano aprendi mais do que na minha vida toda. Foi uma experiência totalmente diferente. (…) Profissionalmente aprendi a ter mais responsabilidade. (…) Trabalhei a parte da empatia, aprendi a comunicar com as pessoas. Nos TACV trabalhei com pessoas que tinham mais de 30 anos na companhia, então aprendi muito com eles. Por isso digo: Ir para os TACV foi a melhor escolha que já fiz na vida”.

Longe da família e com a vida a desmoronar, Miguel começou a fazer novos planos. Em setembro, decidiu regressar à cidade da Praia e voltar a estudar. Ainda com o pensamento na aviação civil, matriculou-se no curso de Observação Meteorológica na Universidade de Cabo Verde, tendo desistido no final do curso.

Em julho de 2021, fez uma formação profissional em Contabilidade e Gestão de Empresas na FH Formação. “Descobri que tinha talento para a Contabilidade. Sou uma pessoa ativa e com a bagagem que recebi estou a auxiliar os amigos na abertura dos seus negócios”, diz e revela que, juntamente com alguns colegas, criou um projeto “Invisti.CV” que visa investir nas pessoas.

Recentemente, foi convidado para ser um dos rostos do programa Manhã Kriola do canal privado Televisão Africana, TVA. “Já tinha trabalhado com a produtora GreenStudio em 2016 e agora convidaram-me para ser apresentador do programa e aceitei.”

A comandar o programa ao lado de Vanya Ramalho desde o dia 25 de julho, Miguel diz que está a ser uma boa experiência. “O feedback está a ser maravilhoso e estou muito contente.”

Xplorá.CV: Explorar Cabo Verde sem stress

Ironicamente, em plena pandemia da covid-19, quando o turismo estava completamente afetado, Miguel Duarte criou uma agência de turismo denominada Xplorá.CV.

“Quando morava na ilha do Sal não conseguia fazer nenhuma atividade náutica porque era muito caro. Estava completamente inflacionado e o nacional não podia fazer. Então pensei em criar uma agência de turismo focada no público nacional”, explica e diz que a ambição é transformar o projeto numa plataforma de turismo a nível nacional com oferta de vários serviços. “O que pretendo fazer com Xplorá.CV é explorar Cabo Verde sem stress.”

Enquanto aguarda financiamento da Pro Empresa para a criação do site da plataforma, Miguel está focado em divulgar o projeto via redes sociais.

Para já os tours da Xplorá.CV têm sido na ilha de Santiago, mas dentro um mês pretende expandir para a ilha do Maio. “O feedback tem sido bastante positivo.”

No que tange a ambições futuras, Miguel Duarte diz: “Quero ser uma referência para jovens em Cabo Verde. (…) Quero inspirar os jovens, principalmente aqueles oriundos de comunidades mais desfavorecidas. (…) Em 2023, pretendo focar-me nos meus projetos (Xplorá.CV e Invisti.CV)”, conclui.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us