Saiba como lidar com um cliente zangado

Sabia que se um cliente sair zangado ou insatisfeito da sua loja, com o atendimento ou com o produto, irá provavelmente relatar a má experiência de consumo em média a 11 pessoas? Sem esquecer o risco de deixar um comentário negativo na página de Facebook da sua empresa. Por aqui se percebe a importância das recomendações boca-a-boca para o aumento das vendas do negócio e a última coisa que precisa é de um cliente furioso a denegrir a sua marca.

Para evitar este cenário, é crucial saber lidar com todos os tipos de clientes que lhe surgem pela frente, mas sobretudo com os mais nervosos. Nestes momentos terá de agir rápido e com a máxima inteligência, para conseguir a proeza de transformar um cliente furioso num cliente satisfeito, capaz de recomendar a sua loja a todos os amigos e familiares. Não se esqueça do velho ditado: “o cliente tem sempre razão”. Siga as seguintes dicas.

Permaneça calmo

Se um cliente entrar na sua loja e começar a gritar ou a ser mal-educado, a última coisa a fazer é responder-lhe da mesma maneira. Lembre-se: gritos apenas geram ainda mais gritos e o clima hostil será agravado. A todo o custo, mantenha-se controlado. Aja rápido e reconheça verbalmente o estado de espírito do cliente. Não ignore ou minimize o problema.

Não leve a peito

Se parar um minuto para pensar na questão verá que provavelmente o cliente não está furioso consigo, mas sim desagradado com alguma falha no atendimento ou com a qualidade do produto adquirido. Não se ofenda. Ponha os seus sentimentos de lado e mantenha uma atitude estritamente profissional. Fale devagar e use um tom de voz baixo para acalmar a tensão.

Saiba ouvir

Não tente silenciar um cliente furioso, nem lhe peça para se calar. Em vez disso, ouça tudo aquilo que o cliente tem para dizer, pacientemente, algo que parece simples mas que no fim de contas pode ajudar a serenar os ânimos. Desta forma, o cliente sentir-se-á ouvido e compreendido, e pensará que a sua queixa está a ser levada em conta. Use uma linguagem corporal empática: olhe o cliente nos olhos, mantenha uma postura direita e não cruze os braços. Quando o cliente terminar de falar faça um resumo do que foi dito e faça questões.

Mostre empatia

O cliente quer que o seu problema seja reconhecido e é isso mesmo que deve fazer. Mostre-se compreensivo com a sua má experiência de consumo. Se conseguir fazer passar que respeita e compreende o cliente conseguirá acalmar a sua fúria. Uma dica útil é tomar notas por escrito do que o cliente está a dizer.

Peça desculpa

Mesmo que o cliente não esteja a ser muito justo ou educado na forma de expor o problema, peça desculpa em nome da marca de forma graciosa. No momento da reclamação não é muito relevante se o cliente tem ou não razão. O foco deve estar na resolução do problema e no objectivo de não perder a confiança daquele cliente em particular (a perda de um cliente acarreta sempre consequências negativas). Pode, por exemplo, dizer: “Lamentamos que não esteja contente com o nosso produto. Vejamos o que podemos fazer para remediar a situação”.

Encontre soluções

Depois de ter ouvido as queixas, apresente soluções ou pergunte ao cliente quais as suas sugestões para resolver o problema. Muitas vezes basta apenas isso para pôr fim à fúria e repor a satisfação com a marca. Quando chegarem a acordo sobre a solução, estabeleça um prazo limite para a resolução do problema e cumpra esses mesmos prazos, sob pena do cliente regressar ainda mais furioso.

Respire fundo

Quando tudo terminar e o cliente abandonar a loja, idealmente mais calmo e satisfeito, respire fundo e faça uma pausa. Mesmo que tenha lidado com a questão da forma profissional possível, certamente também ficou contagiado pelo stress inerente à situação. Não deixe esse ‘stress’ acumular-se, faça uma pausa e depois regresse para voltar ao contacto com os seus clientes.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook

Pode gostar também

Deixe um comentário