“Ser empreendedora transformou-me numa mulher que não pensava em me tornar aos 29 anos”, diz esteticista mindelense

“Ser empreendedora transformou-me numa mulher que não pensava em me tornar aos 29 anos”, diz esteticista mindelense

Formada na área de gestão, Maddie Tavares começou a trabalhar na área de cuidados de beleza ao maquilhar as colegas de curso mas não imaginava que um dia viria a dedicar-se a esta área a tempo inteiro.

Madilene Tavares, ou Maddie Tavares, tem 29 anos e é proprietária de um salão de estética e beleza, situado na cidade do Mindelo, um empreendimento que iniciou aos 23 anos, quando terminou a licenciatura em Economia e Gestão.

Filha de mãe santantonense e pai maense, Maddie nasceu e cresceu na ilha de São Vicente. Em entrevista ao Balai, a jovem conta como passou de uma simples aprendiz através de vídeos tutoriais que assistia online para uma especialista em estética, maquilhagem e micropigmentação.

Tudo começou em 2018, quando a jovem entusiasta da área de estética e cuidados de beleza aceitou maquilhar as colegas de curso para o dia da festa de finalistas. Como as colegas gostaram do trabalho e perante o cenário de festas que se vivenciava na época, a agenda da recém-formada permaneceu preenchida todo o verão com serviços de maquilhagem que prestava, após a informação dos seus serviços se ter espalhado.

“Naquele período, também tinha iniciado um estágio em Contabilidade numa empresa do ramo e, na mesma altura, deixei de ser estagiária e comecei a atuar profissionalmente na área”, recorda.

Por isso, a profissional teve de conciliar os dois serviços, mas chegou ao ponto em que notou que já não conseguia responder de igual forma e optou por seguir a carreira apenas no mundo da estética.

Após tomar a decisão, em novembro do mesmo ano, a jovem partiu para Angola, onde passou três meses numa formação de aperfeiçoamento e só depois regressou à Cabo Verde, em março de 2019, decidida no que realmente queria.

“Disse a mim mesma que se queria dedicar-me à estética, deveria fazer com que valesse a pena e que não queria ser “mais uma menina que faz maquilhagens”, quero ir além”, lembra.

Com a decisão tomada, no mesmo ano, Madilene começou o processo de formalização do negócio e decidiu arrancar oficialmente a partir de um espaço improvisado na casa dos pais.

Um ano se passou, quando em março de 2020 a microempreendedora viu-se desafiada com a chegada da pandemia da covid-19 no país.

Não bastasse o vírus, a mesma contou que quase perdeu as esperanças de retomar o trabalho devido a um acidente de carro que comprometeu os movimentos do braço direito que só foi possível recuperar após diversas sessões de fisioterapia.

“Se nem o facto de ter partido o braço, ter posto ferros e submeter-me a duas cirurgias puseram-me desistir, agora é que não iria desistir por nada”, diz a jovem sobre o momento em precisou de “um combustível maior para continuar”.

Cinco meses se passaram e aos poucos os clientes começaram a ressurgir, embora com uma demanda menor em comparação com o período antes da pandemia.

Maddie conta que durante esse período, aproveitou para fazer as suas poupanças e trabalhar o negócio de uma forma mais estratégica. Atitude que resultou na aquisição de um estúdio novo, ao mesmo tempo em que decidiu tirar novos cursos.

Em maio do ano passado, a jovem obteve mais outra conquista: de um estúdio com dois compartimentos e três funcionários, incluindo ela própria, passou a contar com uma clínica de estética, com acomodações maiores e seis funcionários.

“O estúdio foi financiado 100 por cento por mim, fruto dos serviços que prestava e graças às minhas poupanças que também ajudaram-me a adquirir os meus primeiros equipamentos e mobiliários”, conta, contudo, salienta que para a clínica teve de aderir a programas de apoio e acesso ao crédito.

Atualmente, com mais de 20 certificações no ramo da estética, Maddie Tavares destaca-se pelos serviços de tratamentos faciais e corporais que oferece.

Ao fazer uma análise do percurso desde os 23 anos, destaca as barreiras financeiras como os desafios iniciais, principalmente para a obtenção de conhecimento na área.

Ser empreendedora transformou-me numa mulher que não pensava em me tornar aos 29 anos, porque sou só eu, eu é que sou a gestora, a especialista, a marketeer e às vezes a empregada de limpeza, acabei por assumir responsabilidades que eram maiores do que a minha própria idade e isso amadureceu-me bastante”, celebra

Além de expandir os serviços para outras ilhas, Madilene Tavares almeja num futuro bem próximo, partilhar os conhecimentos obtidos com mais pessoas, através de formações ministradas por ela mesma.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us