Neuza: “Estou numa fase sensível porque toquei numa parte do meu passado que me magoou muito”

“Conberso cu Distino” é o título do novo tema de Neuza de Pina, uma música carregada de simbolismo e que juntou em palco o estilo característico da artista ao Moreno, jovem talento do interior de Santiago. Em entrevista, a cantora fala sobre este encontro musical e sobre o que motivou a composição deste single. #balaikultural #balaicv #balaicaboverde

“É um ato de coragem meu em perguntar. Talvez nunca venha a obter a resposta ou talvez o destino já me respondeu sem eu saber”, começa por contar Neuza em entrevista.


Escreveu este tema numa noite estrelada na ilha da Brava. Pensou na mãe que já faleceu e em todos desafios que já enfrentou para chegar aonde está hoje. Quer que o tema e a sua história encorajem outras pessoas que estejam a enfrentar dificuldades.


O encontro musical entre Neuza e Moreno, jovem artista natural do interior de Santiago, surgiu de forma inesperada. Depois de partilhar a música improvisada, Neuza recebeu o tema interpretado pelo Moreno e impressionada pela roupagem e sentimento que o jovem deu à composição, a foguense sugeriu para gravarem juntos. Moreno não quis acreditar.


“Histórias diferentes, mas vidas cruzadas”, assim Neuza classifica esta parceria musical.


“Para um artista a vida é em palco”

 

Não tem intenção de gravar este ano um novo disco, principalmente tendo em conta a situação da pandemia da covid-19. “Acredito que um CD não seja oportuno, mas posso lançar singles (…) estou a escrever muito”. Ainda este verão, a cantora promete mais um tema.


A residir nos EUA, Neuza optou apostar em várias áreas: está a fazer uma formação em Justiça Criminal, está a desenvolver vários projetos sociais quer com crianças órfãs quer de empoderamento de mulheres chefes de família em Cabo Verde (com o projeto Flor di Bila), em paralelo lançou uma marca de roupa e está a compor.


“Estou numa fase de vida sensível porque toquei numa parte do meu passado que me magoou muito. Dei uma entrevista ontem e expliquei que fui violada duas vezes com 11 anos. Isto é algo que estava preso dentro de mim, por isso hoje acordei feliz como se tivesse retirado algo de dentro de mim que me impedia de avançar e também quero encorajar outras mulheres a falar, porque enquanto ficarmos em silencio não resolvemos nada”.


Antes de falar publicamente sobre o que lhe aconteceu no passado, Neuza conversou com a filha mais velha de 16 anos. Aliás diz que sempre fez questão de abordar certos temas e de falar abertamente com a filha. “É uma menina exemplar”. Faz questão de que a filha não lhe seguiu as pisadas na música, apenas na dança. Já a filha mais nova de 3 anos, Neuza acalenta a esperança de que vá seguir os seus passos. “Para educa-los (os filhos) hoje em dia temos de seguir os seus passos”.

 

É com emoção que confessa: “Nha amor pa Fogo é grande”. Por isso fica sempre feliz quando a reconhecem como uma das vozes da ilha do vulcão. Apesar de reconhecer que se identifica mais nos géneros tradicionais, nomeadamente da ilha do Fogo, não está a fechada a novas experiências musicais.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
wordpress

Agenda

wordpress