Africtac West 2 dá mais visibilidade ao país e apoio para enfrentar desafios da política económica – Governador do BCV

O Governador do Banco de Cabo Verde (BCV) considerou hoje que a organização do Afritac West 2 vai dar mais visibilidade ao país e apoio na definição de estratégias para enfrentar desafios futuros da política económica.

O Centro Regional de Assistência Técnica Para África Ocidental 2 (Afritac West 2) tem como missão fornecer assistências técnicas e formações a seis países da África Ocidental, nomeadamente Cabo Verde, Gana, Libéria, Nigéria, Serra Leoa e Gâmbia.

Originou-se da resposta do Fundo Monetário Internacional (FMI) ao apelo dos líderes africanos à comunidade internacional para aumentar a assistência técnica à África e concentrá-la mais fortemente no desenvolvimento de capacidades em áreas fundamentais de gestão macroeconómica e financeira.

Em declarações aos jornalistas, à margem do evento, que decorre na Cidade da Praia, Óscar Santos disse que este encontro, que serve para reflectir sobre os últimos 10 anos do Afritac West 2, é essencial para a capacitação de quadros cabo-verdianos e nos apoios ao Ministério da Finanças, ao Instituto Nacional de Estatística (INE) e Banco de Cabo Verde.

De acordo com Óscar Santos, tendo em conta que vai passar para a fase três do Afritac, Cabo Verde já cumpriu com a contribuição de cerca e meio milhão de dólares, que conforme observou, se trata de uma “pequena aportação”, levando em consideração a lacuna de financiamento que “é enorme”.

Essa contribuição, explicou, se trata de uma forma de incentivar outros países e demonstrar que se trata de uma organização “muito importante”, exemplificando com o apoio que foi concebido, durante a covid-19, à Libéria e à Serra Leoa na mobilização de meios financeiros.

Na ocasião, o governador do BCV anunciou que na sequência deste evento, Cabo Verde vai receber, em Outubro, vários workshops com participação de vários governadores dos bancos centrais e representantes dos ministérios das Finanças da região africana.

A conferência conta com dois painéis para discussão, sendo que no primeiro será abordado a “Mobilização de Receitas e Melhor Gestão dos Recursos Públicos”, abarcando temáticas como “Transparência Fiscal em Cabo Verde” e “Aumentando as Receitas durante a covid-19 na Serra Leoa e na Libéria”.

No segundo painel os conferencistas vão debruçar-se acerca da  “Modelagem da Política Monetária e da Estabilidade Bancária”, pelo que serão debatidos temáticas como a “Política Monetária Prospectiva no Gana e na Gâmbia” e “Um Sistema de Alerta Precoce para Bancos na Nigéria”.

Do programa consta ainda a premiação no âmbito do Concurso de Pesquisa para Jovens Economistas Afritac West 2.

Sediado em Acra, Gana, o Afritac West 2 tem como missão fornecer assistências técnicas e formações a seis países da África Ocidental, designadamente Cabo Verde, Gana, Libéria, Nigéria, Serra Leoa e Gâmbia.

Resulta da resposta do Fundo Monetário Internacional (FMI) ao apelo de países africanos no sentido de aumentar o desenvolvimento de capacidades em África nas áreas macroeconómicas e de gestão financeira, nomeadamente, Administração de Receitas e Fiscalidade, Gestão das Finanças Públicas, Estatísticas Macroeconómicas, Operações Monetárias e Sistema de Pagamentos, assim como a Supervisão Bancária.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest