Agricultores da Brava aguardam ansiosos para mais uma chuva e assim “garantir um ano agrícola diferente”

Os agricultores dizem estar a aguardar, ansiosamente, por mais um pouco de chuva para assim garantir um ano agrícola diferente dos outros últimos três.

Em declarações à imprensa, Eduardo Rosa, um agricultor e criador de gado bravense, disse que a ideia é que este ano possa colher alguma coisa dos terrenos cultivados, reforçando que o ano iniciou com uma ‘cara diferente’, as expectativas são boas, mas que os agricultores estão cientes de que “muitas vezes a chuva engana”.

Neste momento, realçou, as plantações “estão bonitas”, embora já tenha detectado que algumas plantações já começaram a sentir a falta de chuva, além de ter deparado também com algumas pragas, nomeadamente, lagarta-do-cartucho-do-milho e pragas nas plantações de pepino.

Mas, mesmo assim, sublinhou que “é preciso animar e colocar a fé em Deus porque somente Ele sabe o que fazer”.

Em relação às pragas, disse que ainda não procurou os serviços do Ministério da Agricultura e Ambiente na ilha, mas que vai ter de agir no sentido de serem tomadas medidas ainda a tempo e hora.

Este que também é criador de gado considerou que o ano iniciou “mais favorável”, mas que também é preciso mais chuva para garantir o ano e pasto para os animais.

Miguel Barbosa, outro agricultor, constatou que as suas plantações estão bonitas, as plantações de milho já se encontram a florir, as plantações de feijões já começaram a parir, mas que “é preciso mais um ‘milagre’, neste caso, mais uma chuva para garantir a colheita, isto para quem semeou no mês de Junho”.

Segundo a mesma fonte, há pessoas que não aproveitaram o mês de Junho para fazer a sementeira, uns por falta de sementes e outros por desânimo por terem tido muitos anos em que as sementeiras vinham a ser feitas em meados de Julho, mas os que semearam em Junho estão em “vantagem”, desde que caia mais uma chuva.

Quanto às pragas, no seu terreno garantiu que ainda não está a ser muito afetado e que todos os dias percorre o local para se certificar de que tudo está bem e algumas lagartas-do-cartucho-do-milho, que tem vindo a encontrar, têm sido eliminadas, além de ter recebido uma visita dos técnicos da delegação do MAA na ilha para a pulverização das suas plantações.

Igualmente pede aos seus colegas agricultores para se manterem atentos às pragas e tentar combatê-las ainda no início para não enfrentarem os mesmos constrangimentos dos anos anteriores.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest