AJOC: Cerca de 30 jovens formandos em Jornalismo e Multimédia

Cerca de 30 jornalistas concluíram ontem, dia 18, uma formação sobre “Jornalismo e Multimédia”, promovida pela Associação Sindical dos Jornalistas de Cabo Verde, visando dotar os profissionais de comunicação social de ferramentas que lhes permitam adaptar-se à era digital.

Segundo avançou a formadora, Teresa Abecasis, perante o mundo cada vez mais conectado e globalizado, é necessário apostar na especialização desta área e incutir nos profissionais de comunicação social o pensamento multimédia.

Entretanto disse que durante as três semanas de formação debruçaram-se em como escrever para a web, como otimizar os trabalhos para a web, construir um artigo multimédia, como pensar multimédia, sendo que a multimédia permite muitas coisas.

“Incutir nas pessoas o pensamento multimédia, ou seja, porque tenho de usar um vídeo, uma fotografia porque agora funciona melhor uma infografia, escolher bem os elementos que queremos usar para depois aplicar na multimédia e assim podermos passar melhor a informação”, apontou.

Para Teresa Abecasis, hoje em dia qualquer pessoa tem um telemóvel e pode, muito rapidamente, aceder à informação e, se já estiver adaptada ao digital, estará apta para receber a informação.

“E importante pensarmos em diversas áreas dentro da multimédia para chegarmos a mais pessoas, o potencial de divulgação da informação é enorme se falarmos dos falantes da língua portuguesa. Acho que ainda em muitos lugares existe muito potencial por explorar na multimédia”, referiu.

Por seu turno, o membro da direção da AJOC, Vitor Sousa, disse que esta formação constitui uma oportunidade para desafiar os órgãos de comunicação social em Cabo Verde e todos aqueles que estão interessados em entrar neste mundo do jornalismo online.

“Não podemos ficar para trás e paralisado diante de todo esse fluxo de informação que todos os dias percorre o mundo, sabemos que neste mundo o digital é instantâneo, qualquer um pode visualizar em qualquer parte do mundo imediatamente”, disse avançando que ninguém pode descurar os meios digitais.

Em seu entender, como forma de contornar toda essa lacuna da informação, não devemos ignorar esses meios como as redes sociais onde os jovens vão para ter informação.

Por outro lado, lembrou que o jornalismo multimédia tem estado muito à frente dos outros meios, trazendo informação, mas também uma dose de desinformação pelo que caberá aos profissionais estar atentos e contornar a situação.

Promovida pela AJOC e pelo Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas (Cenjor), a formação contou com a parceria da Embaixada dos Estados Unidos da América (EUA), Embaixada de Angola, Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP) e Governo de Cabo Verde.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us