António Costa reconhece “relação muito profunda” entre Portugal e Cabo Verde

António Costa reconhece “relação muito profunda” entre Portugal e Cabo Verde

O primeiro-ministro português, António Costa, sublinhou hoje, na Praia, no fecho da cimeira entre os dois países, a “relação muito profunda” entre Portugal e Cabo Verde, destacando o trabalho conjunto que os dois países têm realizado.

“Nós temos um enorme reconhecimento pelo contributo que a comunidade cabo-verdiana tem dado ao longo dos anos para o desenvolvimento do nosso país e essa comunidade, de língua, de relacionamento pessoal, que mais uma vez esteve à prova durante estes dois anos tão difíceis da pandemia”, afirmou António Costa, na conferência de imprensa final, em conjunto com o homólogo cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, da VI Cimeira entre Cabo Verde e Portugal.

António Costa garantiu que esta cimeira foi um “sucesso” e permitiu aos dois governos assinarem hoje, na Praia, o novo Programa Estratégico de Cooperação (PEC) 2022-2026, de cerca de 95 milhões de euros, com seis eixos temáticos, além de cinco instrumentos bilaterais.

“Mas com enfoque muito especial na promoção duas áreas fundamentais para o desenvolvimento humano: a saúde e a educação”, afirmou António Costa, destacando ainda, entre os restantes entendimentos alcançados, o apoio português à rede de bibliotecas escolares em Cabo Verde e à execução do plano nacional de leitura.

“Esta cimeira teve de ser adiada por causa da pandemia, mas, na primeira oportunidade, decidimos que era o momento de a realizar. Porque era o momento de virar a página da pandemia e é o momento de, mais do que nunca, no momento em que o mundo vive um cenário de guerra terrível em resultado da invasão russa da Ucrânia, de demonstrar como o futuro dos povos tem que assentar na amizade, na cooperação e nas alianças que sabem construir entre si”, destacou o chefe do Governo português.

António Costa acrescentou que os dois países pretendem “dar um contributo em conjunto” para a aplicação das decisões da recente Cimeira entre a União Europeia e a União Africana, para “apoiar e ajudar à concretização daquilo que foi acordado em Bruxelas”.

“E transformar aquela parceria numa verdadeira aliança”, apontou António Costa, dando desta forma prioridade ao trabalho em conjunto.

“Há um caminho para fazer e juntos iremos continuar a fazer. E é por isso que acordamos em que a próxima cimeira se realizará em Portugal, em 2024, retomando agora a normalidade que esperemos que nenhuma guerra nem nenhuma nova pandemia venha a perturbar”, afirmou.

Os governos de Portugal e de Cabo Verde assinaram hoje, na Praia, o novo Programa Estratégico de Cooperação (PEC) 2022-2026, de cerca de 95 milhões de euros, com seis eixos temáticos, além de cinco instrumentos bilaterais.

De acordo com a declaração conjunta da VI Cimeira Cabo Verde – Portugal, realizada hoje na Praia, capital cabo-verdiana, com a presença dos respetivos primeiros-ministros, Ulisses Correia e Silva e António Costa, o novo PEC pretende “apoiar na integração dos diferentes fluxos financeiros e modalidades de cooperação, numa lógica de complementaridade das intervenções e valências dos vários parceiros”.

“Em linha com o Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Governo de Cabo Verde e acoplado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030”, explica o documento final da cimeira, realizada sob o lema “Parceiros Estratégicos na Recuperação Pós-Pandémica”.

Acrescenta que o novo PEC está estruturado em torno de seis grandes eixos temáticos: Educação, Ciência, Desporto e Cultura; Saúde, Assuntos Sociais e Trabalho; Justiça, Segurança e Defesa; Ambiente, Energia, Agricultura e Mar; Finanças Públicas, Economia, Digital e Infraestruturas; além de Assuntos Transversais.

Ainda segundo a declaração conjunta da cimeira, foram ainda assinados mais cinco instrumentos bilaterais, “espelho da continuada dinâmica e substância da cooperação entre Cabo Verde e Portugal”, entre os quais um Memorando de Entendimento para o Apoio Direto ao Orçamento de Estado (período 2022-2026), e um Memorando de Entendimento sobre Cooperação no domínio Jurídico e da Administração da Justiça.

Foram igualmente assinados um Protocolo de Parceria para Implementação do Programa de Cooperação Técnico-Policial e Proteção Civil com a República de Cabo Verde em 2022, um Protocolo de Cooperação relativo à implementação da Rede de Bibliotecas Escolares e do Plano Nacional de Leitura de Cabo Verde e o Memorando de Entendimento nos Domínios do Desporto e da Juventude.

A cimeira hoje realizada foi a sexta desde a assinatura do Tratado de Amizade e de Cooperação em 2010 e segundo a declaração conjunta “permitiu constatar, mais uma vez, a Parceria Estratégica privilegiada que une os dois países e que se reflete na excelência das relações políticas e de cooperação conjunta para o desenvolvimento nas mais diversas áreas”, bem como “numa coordenação exemplar, no quadro da cooperação multilateral, de consensos nos mais diversos temas da atualidade internacional”.

 

Lusa

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us