Apresentado livro “Diálogos de um missionário de volta a Cabo Verde” do padre Nuno Miguel Rodrigues

 O padre Nuno Miguel Rodrigues apresentou hoje, na Cidade da Praia, o livro “Diálogos de um missionário – de volta a Cabo Verde” cuja receita vai reverter-se para a construção da Igreja de São Pedro, em Achada Monte.

Padre Nuno Miguel Rodrigues, dos missionários do Espírito Santo em Cabo Verde há 14 anos, 48 anos, 22 dos quais de sacerdote, chegou a Cabo Verde em 1998 ainda como estagiário seminarista, foi ordenado padre na paróquia de São Domingos, em 1999, e, em 2000, regressou a Cabo Verde para paróquia de São Miguel Arcanjo, onde trabalhou até 2012.

Passados dez anos, o padre Nuno Miguel Rodrigues regressou a Cabo Verde, com a obra diálogos de um missionário – de volta a Cabo Verde”, no qual colocou “as tantas vivências e experiência” de “alegrias e algumas de sofrimento”, que teve com crianças, adultos e idosos, e partilhá-las com o povo de Cabo Verde, com quem “viveu e procurou servir”.

“A obra contém histórias verídicas, que têm nomes, rostos e pessoas concretas que me fizeram crescer como homem e como missionário e que agora coloco-as em livro para nós relembrarmos, porque quando vamos ao passado não é para lamentar e chorar, mas acima de tudo para fazer memória viva”, concretizou.

Das histórias que mais o marcou durante esse período em Cabo Verde, conforme contou, o missionário do Espírito Santo recordou diálogos que manteve com as pessoas mais velhas, altura em que chegou ao arquipélago, ainda jovem de 23 anos, mais precisamente na Calheta de São Miguel, onde recebeu “conselhos muito concretos”.

“Eram pessoas mais velhas que viam um missionário chegar tão novo e que se preocupavam como é que ele iria estar e permanecer na paróquia e estes conselhos eu nunca mais esqueci (…), e depois tudo aquilo que eu fiz com os jovens, com as crianças concretamente na escola Padre Moniz onde dei aulas durante 12 anos”, salientou.

O livro foi apresentado primeiramente na Calheta de São Miguel, onde o padre Nuno Miguel Rodrigues foi também homenageado publicamente como reconhecimento da sua presença naquele concelho.

O professor Adilson Correia, que apresentou a obra, contou que o sacerdote “toca profundamente” as pessoas que vão ler o livro, em que ele se dá a conhecer, mostra o que é missão em Cabo Verde e o papel dos missionários.

“Ele não escuta a si mesmo, ele escuta os outros, está sempre à disposição das pessoas para auscultar as suas angústias, as suas dores, e no livro ele partilha connosco as dificuldades que teve ao longo da sua missão durante os 14 anos em Cabo Verde, e também o amor que ele nutria, nutre, e continuará a nutrir pelas pessoas com quem ele trabalha”, sublinhou.

Isto porque, reconheceu Adilson Correia, há uma dimensão humanitária “muito grande” de um padre que se revê nas pessoas, “muito empática e amável”, e que tem a capacidade de perceber as dificuldades das pessoas, e essa dimensão do amor é resplandece em todos os diálogos do livro.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us