Associação dos Municípios almeja acelerar a modernização administrativa municipal “a grande escala”

A Associação Nacional dos Municípios de Cabo Verde (ANMCV) ambiciona garantir a modernização administrativa municipal para acelerar, “à grande escala”, o processo de crescimento e tirar “melhor proveito” das oportunidades do mundo digital.

Estas informações foram avançadas à imprensa na manhã de hoje pelo presidente do ANMCV, na sequência de uma visita às instalações do Data Center, do Núcleo Operacional da Sociedade de Informação (NOSi-EPE), que Herménio Fernandes classificou de “muito importante”.

Justificou tratar-se de um “grande parceiro” para o desenvolvimento do País, particularmente dos municípios.

Para isto, alertou para uma decisão política no sentido deste passo ser acelerado, ressalvando que as condições já existem, o País possui “condições favoráveis” para promover “uma mudança à grande escala” em matéria de modernização do País, particularmente dos municípios.

Fernandes revelou que a ANMCV já priorizou o investimento digital como “caminho mais seguro”, convicto de que permitirá “aumentar a eficiência” dos municípios, assim como a qualidade na prestação dos serviços.

Aliás, referiu, esta organização pode dar “um grande contributo” para melhoria do ambiente do negócio e aumentar a competitividade” no País.

“O município tem este papel e é neste sentido que estamos aqui porque precisamos modernizar os municípios, tornar os serviços muito mais céleres e aumentar as nossas capacidades de respostas às demandas dos nossos concidadãos, das empresas, dos investidores e da nossa diáspora”, elucidou.

Hermínio Fernandes considerou ainda que o digital é “o caminho para transformar a administração pública numa governação digital”, visando “aumentar a transparência, a proximidade, sobretudo com a diáspora”, e “transformar as câmaras em serviços cada vez mais eficientes”.

O NOSi-EPE desenvolveu e implementou o Sistema de Informação Municipal (SIM) em todos os municípios de Cabo Verde, no período de 2001 à 2012, representando “um ganho significativo” para os municípios, permitindo que o cidadão e as empresas sejam atendidos com “mais rapidez, qualidade, menor custo, mais transparência e segurança”.

Doravante, têm o desafio  de “acelerar o redesenho de processos, produtos e serviços” nesta nova era da indústria 4.0, para que o País se transforme numa nação “verdadeiramente digital e competitiva à escala global”, finalizou Herménio Fernandes.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest