Ataques aéreos israelitas atingem o centro e sul de Gaza enquanto palestinianos buscam abrigo

As forças israelitas realizaram ataques na quarta-feira, 3 de julho, no centro e sul da Faixa de Gaza, enquanto civis palestinianos procuravam novas áreas de abrigo após a última ordem de evacuação israelita.

Os militares israelitas disseram que atacaram combatentes do Hamas com ataques aéreos na cidade de Rafah, no sul, enquanto operações terrestres ocorreram no distrito de Shujaiya, na cidade de Gaza, no norte.

As Nações Unidas expressaram profunda preocupação na terça-feira com a ordem de evacuação israelita para uma grande parte do sul da Faixa de Gaza, que, segundo a ONU, afeta dezenas de milhares de civis.

“A ordem de ontem para a evacuação de 117 quilómetros quadrados nas províncias de Khan Younis e Rafah aplica-se a cerca de um terço da Faixa de Gaza – tornando-se a maior ordem desde Outubro, quando os residentes foram ordenados a evacuar o norte de Gaza”, disse Stephane Dujarric, porta-voz da ONU.

A agência da ONU que ajuda os refugiados palestinianos, UNRWA, estima que cerca de 250 mil pessoas possam ter residido nas áreas sob a ordem no momento em que foi emitida.

Dujarric disse que as pessoas nessas áreas ficam com a “escolha impossível” de ter que se mudar novamente, para áreas que quase não têm espaços ou serviços, ou ficar onde sabem que ocorrerão combates.

O porta-voz da ONU disse ainda que a nova ordem de evacuação abrange uma área com mais de 90 escolas, a maioria das quais alberga deslocados, bem como quatro postos médicos.

As forças israelitas realizaram ataques no sul da Faixa de Gaza na terça-feira, com autoridades de saúde palestinianas afirmando que pelo menos oito pessoas foram mortas em Khan Younis.

Israel disse repetidamente aos palestinianos para deixarem certas partes de Gaza, geralmente antes de ofensivas militares, numa medida que Israel diz ter como objetivo proteger os civis da guerra. As evacuações, juntamente com os combates, significaram que as pessoas tiveram que fugir várias vezes em busca de segurança.

Ajuda humanitária

Em Nova Iorque, Sigrid Kaag, coordenadora sénior da ONU para questões humanitárias e de reconstrução para Gaza, disse numa reunião do Conselho de Segurança da ONU que desde que Israel iniciou a sua operação militar em Rafah, no início de Maio, o volume de ajuda que entra e é distribuída por Gaza “caiu significativamente.”

“A atividade militar e a falta de rotas seguras dentro de Gaza continuam a ter impacto grave nas operações humanitárias”, disse ela. “Um colapso quase total da ordem civil levou ainda mais a um ambiente de ilegalidade e criminalidade”.

Kaag disse que as Nações Unidas pediram a Israel que encontrasse soluções que permitissem a entrega segura da ajuda. Israel contesta que não esteja a cumprir os seus compromissos e diz que está a permitir que a ajuda chegue a Gaza a partir de vários pontos de passagem.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest