Alemanha deixará Polónia entregar blindados Leopard a Kiev

A Alemanha vai deixar a Polónia entregar blindados Leopard à Ucrânia, que tem feito pressões para os receber, se Varsóvia pedir essa autorização, anunciou hoje a chefe da diplomacia alemã Annalena Baerbock.

“Se nos pedirem, não nos oporemos”, disse a ministra do partido Aliança 90/Os Verdes, que governa em coligação com os sociais-democratas de Olaf Scholz, referindo-se à entrega dos blindados de fabrico alemão a Kiev.

“Por enquanto, o pedido não foi feito” pela Polónia, que tem de o fazer oficialmente a Berlim, disse a ministra, entrevistada em Paris pelo canal francês LCI.

O Governo alemão está sob pressão crescente para fornecer à Ucrânia blindados pesados Leopard, o que poderá ter um impacto significativo no campo de batalha contra as tropas russas.

“Compreendo a importância destes blindados, estamos plenamente conscientes disso”, disse Baerbock.

A Polónia e a Finlândia ofereceram-se para entregar blindados Leopard que possuem, mas necessitam da aprovação oficial de Berlim para essa reexportação.

O chanceler alemão, Olaf Scholz, recusou-se até agora a comentar a hipótese de entregas indirectas, bem como a questão do fornecimento directo de blindados Leopard pertencentes aos ‘stocks’ alemães.

Questionado hoje em Paris sobre a questão, numa conferência de imprensa conjunta com o Presidente francês, Emmanuel Macron, o chanceler foi evasivo, repetindo a necessidade de agir em consulta com os aliados da Ucrânia sobre questões de entrega de armas.

Também Emmanuel Macron admitiu hoje o envio de blindados franceses Leclerc para a Ucrânia, exigindo, porém, que sejam satisfeitas três condições: que o mesmo não conduza a uma escalada do conflito, que haja soldados ucranianos em condições de os utilizar e que não afecte as capacidades de defesa francesas.

O líder francês disse que o trabalho de coordenação para decidir o que fazer sobre os pedidos ucranianos ao Ocidente de tanques de batalha pesados continuará “nos próximos dias e semanas” com outros aliados, incluindo a Alemanha.

Já o chanceler alemão expressou o total acordo entre o seu país e a França na vontade de fornecer à Ucrânia “todo o apoio necessário”, desde que “seja necessário” e “com os meios que forem necessários”, sejam eles financeiros, humanitários ou de armamento.

“O objetivo comum é que a Rússia retire as suas tropas da Ucrânia”, disse o líder alemão em declarações proferidas ao lado do Presidente francês após o Conselho de Ministros, e no contexto de pressões da Ucrânia sobre Berlim para enviar blindados alemães “Leopard2”.

Não é a primeira vez que ministros do governo verde, particularmente Baerbock, adotam uma linha mais proactiva do que o chanceler sobre a questão do apoio militar à Ucrânia.

Nas últimas semanas, várias figuras verdes instaram Olaf Scholz a aprovar a entrega de blindados a Kiev.

Numa reunião na passada sexta-feira na base militar norte-americana em Ramstein, Alemanha, os aliados ocidentais da Ucrânia adiaram qualquer decisão sobre o assunto, enfurecendo Kiev, que criticou a “indecisão”.

Inforpress/Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us