Brava:  PM anuncia para “breve” o arranque das obras da estrada que ligará Esparadinha/ Fajã d’Água e Palhal 

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, anunciou ontem, dia 6, o arranque para “breve” das obras da nova estrada alternativa que irá ligar Esparadinha/ Fajã d’Água/Palhal, com um investimento de mais de 258 mil contos.

A revelação foi feita aos jornalistas à margem visita às obras de reabilitação da estrada de ligação a Fajã d’Água e do projecto de dessalinização de água, situado na localidade de Furna.

Lembrando que já foram gastos mais de 23 mil contos com trabalhos de manutenção da via, na sequência de uma derrocada, o primeiro-ministro afirmou que o Governo está a trabalhar numa solução “estruturante”, ou seja, uma nova via alternativa que vai ligar Esparadinha/ Fajã d’Água/Palhal.

A espectativa de Ulisses Correia e Silva é que as intervenções venham a ser concluídas até ao final do ano e criem melhores condições de segurança para os usuários da via.

Para além disso, assegurou que a infraestrutura vai valorizar todo a zona costeira, incluindo a Praia da Porteti.

A via, com uma extensão aproximada de 4,5 quilómetros, será segundo o chefe do Governo uma solução alternativa de ligações entre as localidades e que possam resolver os problemas actuais de conexão.

Em relação às obras do projecto de dessalinização de água, na localidade de Furna, que já se encontram em curso, o primeiro-ministro salientou que até ao final do ano a infraestrutura poderá ser concluída, tendo em conta, que as obras estão num “bom caminho”.

“Os equipamentos já estão disponíveis, para chegarem e serem instalados e dar uma resposta a um dos problemas estruturantes da ilha, que é o fornecimento de água em quantidade e qualidade suficiente para suprir uma dificuldade que já vem de vários anos”, informou.

Neste sentido, garantiu a mesma fonte que até ao final do ano o município estará com muito mais água, suportada a 100 por cento (%) através de energias renováveis, sendo que o feito colocará a Brava como a primeira ilha com uma solução deste tipo.

“Pelas informações que temos, até ao final do corrente ano o projecto já estará operacionalizado, a produzir água para ser introduzido na rede”, afirmou.

Por sua vez, o presidente da Câmara municipal da Brava, Francisco Tavares, considerou que o primeiro-ministro está a se mostrar o “homem das soluções”, sublinhando que o concelho tinha esses dois grandes problemas estruturais, acreditando, também, que até ao final do ano ou início do próximo, a população possa ter água na torneira.

Neste caso, considerou ser a resolução de um grande problema que o município tem e afirmou ser uma solução estruturante encontrada pelo Governo.

“Também estamos a ver as intervenções que são pontuais e consomem muitos recursos na estrada de acesso à Fajã d’Água, que constantemente sofre de pequenos derrocadas e também visualizarmos e lançarmos o projecto da estrada que sai de Esparadinha até Palhal e então trazer a solução definitiva e estruturante, para que a comunidade tenha sempre entrada e saída sem constrangimentos”, disse.

Para esta sexta-feira, 07, está prevista a apresentação pública da proposta de lei do regime jurídico para a correcção das assimetrias e promoção do desenvolvimento regional das ilhas com mercados reduzidos.

O acto irá acontecer no salão nobre da câmara municipal e visa dialogar e recolher contributos para aperfeiçoar a legislação que busca equilibrar as desigualdades e estimular o desenvolvimento nas ilhas com menor mercado interno.

Durante a sua estadia na ilha Brava, Ulisses Correia e Silva irá visitar também o Porto da Furna para se inteirar das condições de operabilidade do porto, das instalações da Enapor, do centro de pequenas encomendas e da central eléctrica da ilha onde recentemente foram adicionados dois novos geradores de 810 kVA para cada um e reabilitado o edifício da central, num investimento de cerca de 60 mil contos, co-financiado pela Electra e pelo Fundo do Turismo.

Este projecto visa melhorar substancialmente a qualidade do fornecimento eléctrico, como sendo importante para o desenvolvimento socioeconómico da ilha, especialmente nos sectores da saúde, da educação e do turismo.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest