Cabo Verde em fase de implementação do plano nacional de luta contra a resistência antimicrobiana – INSP

Cabo Verde está na fase de implementação do plano nacional de luta contra a resistência antimicrobiana, um problema de saúde pública que tem provocado milhares de mortes, anualmente, a nível mundial, revelou hoje a porta-voz do INSP.

A porta-voz do Instituto Nacional da Saúde Pública (INSP), Vera Rodrigues, falava à imprensa à margem da Mesa Redonda realizada no âmbito da Semana Mundial de Conscientização Antimicrobiana promovida por esta instituição sanitária.

Sob o lema “Juntos prevenindo a resistência antimicrobiana”, segundo explicou, o evento tem por objetivo debater a questão da resistência antimicrobiana, no sentido de melhorar a conscientização sobre esta problemática que tem ceifado milhares de vidas todos os anos, em todo o mundo.

No decorrer do evento que reúne profissionais de saúde vão ser partilhadas informações concernentes à forma como este fenómeno acontece a nível da saúde animal, qual a situação de Cabo Verde e quais as perspetivas.

“Em Cabo Verde, segundo um estudo publicado recentemente, retrospetivo de cinco anos, de 2013 a 2017 com amostras do Hospital Agostinho Neto e Baptista de Sousa, há um aumento alarmante de resistência antimicrobiana, o que causa muita preocupação”, disse a responsável.

Mas, lembrou que o País já tem um plano nacional de luta contra a resistência antimicrobiana, que está agora em fase de implementação, para, quando for efetivamente estabelecido começarem a tomar medidas para fazer face a esta problemática.

Porque, caso contrário, alertou, corre-se o risco de, aqui a alguns anos, os antimicrobianos tornarem-se em agentes ineficazes no tratamento de doenças infeciosas tanto na saúde animal como na saúde humana e ambiental, uma vez que é um problema transversal a todas as áreas da saúde.

Por sua vez, a oradora, Analina Olende, sublinhou que a consciencialização para esta problemática é de “muita importância”, uma vez que é um fenómeno que ataca tanto a saúde humana como animal, e que provoca aproximadamente mais de 700 mil mortes por ano.

“E se medidas não forem tomadas até o ano 2050 vai provocar 10 milhões de mortes por ano”, avisou, assegurando que em Cabo Verde no que diz respeito à saúde animal não é assim tão grave porque tem-se tomado todas as medidas.

Segundo afiançou, a entrada de medicamentos tem sido controlada, toda a importação carece de um pedido, e todo o medicamento que entra é inspecionado a nível das quatro portas de entrada do País, ou seja, São Vicente, Boa Vista, Sal e Santiago.

A conscientização sobre resistência antimicrobiana constitui um dos objetivos primordiais a serem alcançados, daí a OMS ter definido a Semana Mundial de Conscientização Antimicrobiana de 18 a 24 de Novembro.

Desde 2015 a OMS tem realizado campanhas globais visando a consciencialização internacional para esta problemática. Em 2017, a Organização publicou um plano de ação global, no qual são apresentados os principais objetivos a serem seguidos para o combate à resistência aos antimicrobianos.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us