Delegação composta por sete membros junta-se ao ex-PR na missão de observação às eleições angolanas

Os deputados nacionais João Baptista Pereira, João Gomes, Carla Carvalho e Julião Varela e três técnicos da CNE devem partir, ainda esta semana, a Angola, numa missão de observação às eleições gerais angolanas, de 24 de Agosto.

À Inforpress, João Baptista Pereira revelou que vai na qualidade de vice-presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), acompanhado do secretário geral deste partido, Julião Varela, e a convite do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA, no poder), tendo em conta as relações existentes entre os dois partidos.

“Esta será a minha terceira missão como observador internacional eleitoral, uma vez que tinha estado em Angola em 2017 e também na Guiné-Bissau em 2019, a acompanhar as eleições presidenciais”, disse, acrescentando que sendo a terceira vez conhece razoavelmente o ambiente e domina os procedimentos que as missões devem ter em atenção.

Para João Baptista Pereira, trata-se de um convite que representa muito para o PAICV, tendo em conta as relações com o MPLA, e vem elevar o nível de cooperação existente entre os dois países.

“As eleições ganham-se pelas urnas, como nós sabemos Cabo Verde já tem uma experiência razoável em matéria de eleições, e o mais importante é que o povo angolano saia a ganhar e que as eleições decorram de forma tranquila e pacífica como foram em 2017”, perspetivou.

Por sua vez, o representante do Movimento para a Democracia (MpD – no poder), João Gomes, escolhido pela Assembleia Nacional para esta missão, enquanto líder do grupo parlamentar do partido, disse esperar cumprir a sua missão da melhor forma, já que é a primeira vez que vai participar de uma missão deste género.

“Enquanto deputado nacional, e em representação da Assembleia Nacional, vou cumprir a minha missão e espero fazê-lo da melhor forma. É bom que se diga que aí o que está em causa em termos de missão é tudo fazer para dignificar a entidade máxima que represento que é a Assembleia Nacional de Cabo Verde”, exteriorizou.

João Gomes mostrou-se ainda “honrado” por ter merecido a confiança da Assembleia Nacional que lhe endereçou o convite para exercer esta missão, e disse que, mesmo sendo esta a primeira vez que vai ser observador eleitoral, sente-se capacitado pela sua experiência política e profissional.

“Espero que os angolanos façam a escolha que entenderem ser melhor para o país, e sobretudo, o voto que eu faço é que o processo ocorra da melhor forma, Nós iremos estar ali para observar o processo e esperemos que tudo corra bem, segundo a vontade do povo angolano, para no final possamos dizer que os resultados das eleições decorreram num processo justo e livre”, perspetivou.

Além desses deputados, vai seguir com o mesmo propósito para Angola a deputada do PAICV Carla Carvalho, na qualidade de membro da Assembleia Parlamentar da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (AP-CPLP) e mais três técnicos da Comissão Nacional de Eleições (CNE).

A caminho de Angola está também o ex-Presidente da República cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, para chefiar a missão de observação da CPLP a estas eleições, tendo afirmado à Inforpress que recebeu o convite com “satisfação” e como um “desafio novo”.

Segundo ele, de uma missão de observação eleitoral espera-se “prudência, ponderação, sentido de moderação e exigência na avaliação”, de forma a não ultrapassar os limites da sua função e contribua positivamente para que as eleições, por um lado, traduzam a vontade genuína dos angolanos e, por outro, sejam aceites por todos.
Concorrem às quintas eleições gerais angolanas oito forças políticas, sete partidos e uma coligação de partidos.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us