Dia Mundial da Língua Portuguesa: “A língua é um elemento agregador da nossa Comunidade”, diz Zacarias Costa

O secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) considera que a língua tem permanecido o “grande motor” da organização e um elemento agregador da comunidade, porque nela se reflecte a diversidade dos povos.

À Inforpress, em Lisboa, no âmbito do Dia Mundial da Língua Portuguesa, que hoje se assinala, sob o lema “Cultura, língua, economia, ciência e inovação para o desenvolvimento Sustentável”, Zacarias Costa pediu às instituições que se juntem à CPLP para homenagear e celebrar o idioma comum, em todo o mundo, numa “grande festa multicultural”, lembrando que a comunidade irá celebrar brevemente 26 anos [17 de Julho].

“A língua portuguesa tem permanecido o grande motor da organização e um elemento agregador da nossa comunidade: é a língua de todos nós e nela se reflecte a diversidade dos nossos povos. É meu desejo que nesta data de 05 de Maio, em que celebramos o Dia Mundial da Língua Portuguesa, os Estados-membros possam reiterar os laços de amizade e solidariedade, bem como reflectir em conjunto sobre os desafios que a nossa comunidade tem pela frente”, declarou o secretário executivo da CPLP.

Zacarias Costa entende, também, que o 05 de Maio deve servir para reflectir sobre a forma como os Estados-membros podem “aprofundar” a concertação e cooperação, e “afirmar a CPLP e os integrantes Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, os seus povos e os seus valores na arena internacional”.

Segundo o secretário executivo, em 2022, dados do Banco Mundial estimam a população dos países da CPLP em cerca de 290 milhões de pessoas e há estimativas que apontam que, até ao final do século, possa chegar aos 500 milhões, “graças a um exponencial crescimento” que se espera fundamentalmente de Angola e Moçambique.

“Na nossa comunidade, a língua portuguesa assume um papel determinante para as dinâmicas identitárias, políticas, económicas, culturais e sociais. É, igualmente, o meio privilegiado através do qual se estabelecem ligações interpessoais e institucionais, se promove a solidariedade, a amizade, a concertação político-diplomática e a cooperação em todos os domínios, incluindo, a cultura”, indicou.

Na sua opinião, na prossecução do objectivo geral de promoção e difusão da língua portuguesa, a CPLP entende o português como uma língua pluricêntrica, favorecendo um modelo de gestão atinente às realidades de todos os Estados-membros, sendo que em muitos contextos é língua materna, mas em outros é língua segunda, por isso a organização tem adoptado estratégias de difusão da mesma, focadas no ensino da língua em contextos multilingues.

A CPLP realizou já quatro conferências internacionais sobre o futuro da língua portuguesa, que permitiram adoptar estratégias e planos de acção [Brasília, em 2010, Lisboa, em 2013, Díli, em 2016, e Cidade da Praia, em 2021], visando “consolidar” uma visão integrada para a promoção e difusão do idioma comum, porque cabe às instituições da CPLP e a todos os Estados-membros reforçar os meios para a promoção da língua, assegurando o seu uso generalizado por parte da população.

Zacarias Costa lembrou que no âmbito da cooperação multilateral, a CPLP conta com a “importante acção” do Instituto Internacional da Língua Portuguesa, com sede na Cidade da Praia, que tem desenvolvido acções de formação de professores e projectos como o Vocabulário Ortográfico Comum e o Portal do Professor de Português Língua Não Materna, ambos de acesso aberto.

“Porém, a gestão da língua é um compromisso, sendo necessário um investimento na educação, na formação de professores, na promoção da leitura, na cultura, quer seja a música, a produção literária ou os conteúdos audiovisuais, e na investigação científica. Concomitantemente, o verdadeiro alcance da língua portuguesa reside na sua capacidade de atrair novos falantes.

Segundo esse responsável, povos do mundo inteiro querem aprender português, têm acesso aos produtos culturais e querem fazer negócios com os países da CPLP, como é o caso da China ou os Estados Unidos da América, onde a demanda pelo ensino da língua cresce, sublinhando que CPLP conhece hoje 32 Estados e organizações internacionais com o Estatuto de Observador Associado.

No seu conjunto, os países da CPLP representam também 8 por cento (%) da superfície continental do planeta, mais de 50% das novas descobertas de recursos energéticos ocorridas desde o início do século XXI, estão no quarto lugar da produção mundial de petróleo e detém uma vasta plataforma continental com recursos marinhos e minerais, com 14% das reservas mundiais de água doce.

A data de 05 de Maio foi oficialmente estabelecida em 2009 pela CPLP, como sendo Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP.

Em Novembro de 2019, na 40.ª Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), foi proclamado o 05 de Maio como Dia Mundial da Língua Portuguesa, na sequência da proposta de todos os países lusófonos, apoiada por mais 24 Estados, incluindo países como a Argentina, Chile, Geórgia, Luxemburgo ou Uruguai.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us