Diretor-geral da Defesa portuguesa defende apoio ao “porta-aviões” Cabo Verde

O diretor-geral de Política de Defesa de Portugal, Nuno Lemos Pires, defendeu ontem, dia 16, mais apoio externo a Cabo Verde, que comparou a um porta-aviões que faz a segurança no meio do Atlântico.

“Está estacionado num sítio onde controla, por exemplo, as rotas do narcotráfico, onde pode vigiar cabos submarinos, é um porta-aviões que pode olhar bem para o espaço, muito bem localizado para fazer lançamentos de satélites ou para receber imagens do espaço”, disse o major-general, à margem de uma apresentação sobre geopolítica no Centro Cultural Português, na Praia.

Lemos Pires defendeu o valor do arquipélago, com o qual “a comunidade internacional tem muito a ganhar” e disse esperar que a União Europeia (UE) “dê uma medida de assistência a Cabo Verde para poder criar maior capacidade nessa área” da segurança.

“Esperemos também que países como os Estados Unidos, que ajudam na manutenção de meios e formação, sejam importantes” no processo, indicando que Portugal ajuda o país com meios (aéreos e navais) que têm passado pelo arquipélago em exercícios de segurança e ações de formação – além do apoio da Cooperação Portuguesa a todas as áreas da governação.

“Sabemos da escassez de recursos de Cabo Verde, mas achamos que há um efeito exponencial” se o país receber “alguns meios, mesmo que sejam pequenos, mas bem geridos”, disse.

Lemos Pires considerou importante respeitar o papel que Cabo Verde tem desempenhado – através de vários programas e iniciativas – na segurança do “flanco sul da NATO [Organização do Tratado do Atlântico Norte]”, concluindo que “ninguém está a dar nada a ninguém: estamos a construir um futuro que é de todos”.

Cabo Verde é um dos membros do Atlantic Center – Centro do Atlântico, iniciativa do Estado português destacada por Lemos Pires, que congrega 23 países e que age como catalisador, fazendo as pontes entre instituições e países na definição de políticas comuns para o Atlântico.

O papel de Cabo Verde foi destacado aos jornalistas, após uma apresentação de Nuno Lemos Pires sobre a atualidade geopolítica mundial, com dezenas de alunos de escolas da Praia na plateia, e em que a defesa dos oceanos foi apresentada como uma das prioridades na preservação de recursos para a sobrevivência da humanidade.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest