Estudo recomenda criação de plataforma para acelerar processo da reforma do ambiente de negócios

Os resultados do primeiro diagnóstico sobre o diálogo público-privado realizado em 2021, apresentados hoje, na Cidade da Praia, recomendam a criação de uma plataforma para a acelerar o processo da reforma do ambiente de negócios.

O diagnóstico foi realizado por consultores do Mecanismo de Reforma do Clima de Investimento (ICR Facility), a pedido da Delegação da União Europeia em Cabo Verde e em coordenação com a Unidade de Competitividade do Governo.

“Propõem-se uma plataforma, com base nas instituições que existem, para organizar esse diálogo, que terá diferentes níveis de intervenção e que poderá acelerar o processo da reforma do ambiente de negócios em curso em Cabo Verde”, explicou à imprensa, o consultor do Mecanismo de Reforma do Clima de Investimento (ICR Facility), Amílcar Monteiro.

De acordo com a mesma fonte, existem propostas abrangentes, que envolvem diferentes níveis de intervenção, do mais técnico à operacional, precisando que no âmbito da governação intervêm os parceiros e no mais funcional interferem os sectores mais específicos.

Amílcar Monteiro considerou que o diálogo entre o público e privado tem acontecido, mas que existe um “imobilismo” na tomada de decisões, aconselhando, por isso, a promoção de um diálogo partilhado e com uma agenda comum.

“Em Cabo Verde, o diálogo acontece, mas a nível internacional esta prática já foi sistematizada em um conjunto de mecanismos para que haja uma intervenção consequente na reforma do ambiente de negócios”, explicou.

Segundo o consultor, se trata de uma forma de acelerar essa reforma, acolher as preocupações e contribuições do sector privado, e tornar o diálogo mais sistemático, inclusivo e sustentável.

Os resultados deste estudo foram apresentados no Workshop Participativo sobre Diálogo Público-Privado em Cabo Verde, cujo acto de abertura foi presidido pelo vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia.

Na ocasião, o governante disse que o executivo poderá aprovar uma Carta de Política para o diálogo público-privado, desde que esse entendimento vise resultados tangíveis e que contribua para que a retoma económica seja um “sucesso”.

“O Governo considera que o sector privado deve enfrentar e vencer o desafio do reforço da governança corporativa, da coesão e representatividade das instâncias deste sector, para criarmos um clima empresarial conducente ao investimento e crescimento económico”, frisou.

Para isso, defendeu que deve-se privilegiar os aceleradores do desenvolvimento sustentável, ou seja, conforme precisou, apostar no desenvolvimento do capital humano, na indústria do turismo, na economia azul e na economia digital.

O workshop visa proporcionar um espaço aberto para analisar o diálogo entre as instituições públicas e privadas em Cabo Verde, como sendo uma oportunidade para abordar e reforçar a existência de um diálogo inclusivo, estruturado e regular entre ambos os sectores, de forma a melhorar o ambiente de negócios e potencializar os investimentos no país.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us