EU Católica reforça contributo da Igreja na construção da cabo-verdianidade, diz Dom Arlindo Furtado

O bispo da Diocese de Santiago, Dom Arlindo Cardeal Furtado, considerou esta quinta-feira, 24, que a Escola Universitária Católica de Cabo Verde (EU Católica) vai permitir à Igreja uma nova projeção reforçando o seu contributo específico na construção da cabo-verdianidade.

Dom Arlindo Furtado que falava aos jornalistas momentos antes da cerimónia de apresentação pública da Escola, disse que a criação desta escola pelas Dioceses de Santiago e do Mindelo representa um momento relevante de todo um processo educativo que a Igreja assumiu desde o início do povoamento das ilhas que teve fases diferenciadas.

“Naturalmente que a tentativa da criação do Seminário na Cidade Velha foi um momento forte, a criação do Seminário de São Nicolau foi outro momento importante, a reabertura do seminário de São José na Praia foi outro momento marcante e agora acho que é mais um momento também muito relevante para o País e para a Igreja. Isto demonstra que a Igreja não desiste daquilo que para ela é essencial”, sustentou.

A formação humana, a educação aos aspetos que segundo o cardeal Dom Arlindo Furtado, depois cria qualidade e prepara as pessoas para uma intervenção transformadora na sociedade.

“A criação desta Escola, estou convencido, vai permitir à Igreja uma nova projeção na nossa sociedade dando o seu contributo específico exatamente para o reforço da construção da cabo-verdianidade. O homem e a mulher cabo-verdiana instruída inteligente, sociedade fraterna e solidária. Conhecedora e, portanto, criando laços que permitirão construir uma sociedade mais equilibrada, mais inclusiva e mais feliz”, explicou.

A EU Católica foi formalizada por despacho conjunto dos bispos das Dioceses de Santiago e de Mindelo, no dia 01 de Janeiro de 2022 e obteve o reconhecimento civil, pela Agência Reguladora do Ensino Superior, a 27 de Outubro de 2022.

A instituição iniciou as suas atividades letivas no dia 21 de Novembro e neste primeiro ano arranca com três cursos de pós-graduação, designadamente a Pós-graduação em Formação para a Docência no Ensino Superior, a Pós-graduação em Ciências Religiosas e a Pós-graduação em Ensino da Doutrina Social da Igreja.

O grande objetivo da EU Católica, segundo o seu diretor, o padre José Eduardo Afonso, é de promover a internacionalização, o intercâmbio dos saberes e, ao mesmo tempo, desenvolver atividades de investigação e extensão junto das comunidades.

“Nós entendemos que estamos numa fase em que é preciso dar mais um salto. Depois da implementação passou-se a fase da concepção de diplomas, dos cursos e nós acreditamos que estamos numa fase em que é possível apostar no gosto pela investigação.  Então a Escola tem como grande foco a aposta na investigação”, sustentou.

Para tal, indicou o diretor, a instituição conta com a colaboração das congéneres na Europa, na América e em outras paragens.

Neste momento a EU Católica, que arrancou com mais de 100 alunos, está a funcionar nas instalações do Bispado, no Plateau, e posteriormente deverá deslocar-se para o seminário de São José, na cidade da Praia.

A apresentação pública da Escola contou com as presenças dos Bispos de Santiago e do Mindelo, Dom Arlindo Furtado e de Dom Ildo Fortes, da pró-reitora da Universidade Católica do Polo de Braga e de dois professores do Instituto Superior das Ciências Religiosas de Barcelona.

O ato foi marcado por uma aula magna proferida pelo cientista cabo-verdiano Jay Querido, tendo como tema “EU Católica: um novo olhar sobre o ensino superior em Cabo Verde”.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest