Fogo: CPR do MpD repudia declarações de Fábio Vieira sobre apresentação do regime jurídico para correção das assimetrias

A Comissão Política Regional (CPR) do MpD repudiou, hoje, as declarações de Fábio Vieira sobre a apresentação do regime jurídico para a correção das assimetrias e promoção do desenvolvimento regional em ilhas com mercados reduzidos.

Em nota de imprensa a CPR do MpD que regia as declarações de Fábio Vieira enquanto presidente da Associação dos Municípios do Fogo e Brava disse que as mesmas estão desprovidas de fundamento, demonstram uma tentativa clara de politizar uma iniciativa que visa beneficiar todas as regiões do arquipélago.

“A Brava está adequadamente representada pelo seu próprio presidente Francisco Tavares que integra a Associação dos Municípios do Fogo e Brava e conhecendo profundamente a realidade da ilha, assume um papel crucial na defesa dos seus interesses”, referiu a nota que classifica de “inadmissível” que Fábio Vieira questione a falta de envolvimento da Associação dos Municípios do Fogo e Brava.

Segundo a mesma fonte, a escolha da Brava para a apresentação da proposta evidencia o compromisso do Governo com todas as ilhas, incluindo aquelas com mercados reduzidos, salientando que as críticas infundadas se configuram como uma mera tentativa de descredibilizar o trabalho árduo e dedicado que está em curso.

O documento destaca ainda que o Governo tem demonstrado um “compromisso incansável” com a criação de políticas e mecanismos para combater as assimetrias regionais e que esta proposta de lei é um passo importante e uma resposta directa às necessidades identificadas em diversas consultas com os municípios.

Por isso, a CPR do MpD considera “lamentável” que Fábio Vieira opte por “atacar” o Governo em vez de reconhecer os esforços concretos realizados para promover um desenvolvimento equilibrado, sublinhando que a acusação de morosidade na transferência de recursos configura-se como uma distorção grosseira da realidade.

Para a CPR do MpD a afirmação de que a relação entre o Governo e os municípios se encontra fragilizada por questões de alinhamento político configura-se como uma “manobra descarada” para politizar a questão, destacando que o Governo tem demonstrado consistentemente o seu compromisso com uma gestão transparente e eficiente dos recursos públicos, independentemente de alinhamentos políticos.

“As críticas infundadas de Fábio Vieira configuram-se como uma tentativa desesperada de desviar a atenção dos progressos reais e substanciais que estão a ser feitos” lê-se na nota de imprensa da CPR do MpD que acrescenta que as declarações de Fábio Vieira são não apenas infundadas, mas também prejudiciais ao progresso que todos almejamos para as nossas ilhas.

inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest