Francofonia atribui a Cabo Verde missão de relançar ensino de Francês e cogitar cooperação económica , diz governante

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Integração Regional, Rui Figueiredo Soares, vincou hoje que a Francofonia atribuiu a Cabo Verde a missão de relançar o ensino de Francês bem como cogitar a cooperação económica no espaço da francofonia.

O governante fez estas afirmações numa conferência de imprensa realizada na Praia para o balanço das missões em Djerba-Tunísia e Marrocos.

Em Djerba, Rui Figueiredo Soares participou na 43º sessão da conferência ministerial da Francofonia e na 18º Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo da Francofonia em representação do Presidente da República, que decorreu sobre o tema conectividade na diversidade digital como vector de desenvolvimento e solidariedade no espaço francófono.

A 43ª conferência ministerial e a 18º Ciméria dos Chefes de Estado e de Governo da Francofonia ocorreram num momento “muito oportuno”, considerando a perturbação por que passa o mundo, marcado por esta crise multidimensional devido à pandemia, crises políticas e de segurança, a própria segurança climática, a invasão da Ucrânia pela Rússia e vários outros problemas que afetam o mundo atualmente.

“A secretária geral da Francofonia que foi reeleita nesta reunião, mandou uma missão a Cabo Verde para relançarmos o ensino de Francês e para pensarmos também na cooperação económica no espaço da francofonia que será muito importante”, disse.

Esta reunião, conforme precisou Rui Figueiredo Soares, serviu para realçar o papel do peso económico que a Francofonia pode ter no mundo.

Nestas duas ocasiões foram tratadas questões transversais ligadas à educação, juventude, às mulheres, isto é, serviu para analisar estratégias e políticas públicas a serem adotadas pela Francofonia que sejam direcionadas pelos grupos “mais vulneráveis” sem esquecer, obviamente, as novas tecnologias que desempenham um “papel fundamental” no mundo de hoje.

“Cabo Verde revê-se plenamente nos temas abordados”, ressalvou o ministro que discursou sobre as plataformas digitais na conferência, contexto em que foram debruçados, conjuntamente, as perspectivas digitais para a francofonia com a inclusão digital necessária e “imprescindível”.

“À margem da 18º Ciméria dos Chefes de Estado e de Governo da Francofonia tive a oportunidade de ter encontros bilaterais nomeadamente encontro bilateral com o representante especial da Coréia do Sul, durante o qual falamos da cooperação entre os dois países e do reforço desta cooperação bilateral”, precisou, por outro lado.

Já em Marrocos, Rui Figueiredo Soares marcou presença na 9º edição da Aliança global das civilizações das Nações Unidas, ocasião que segundo salientou, os países sublinharam a importância daquilo que as Nações Unidas podem fazer e sobretudo o papel dos amigos da aliança global das civilizações.

Na sua intervenção, mencionou, destacou a importância de ter uma aliança cada vez maior entre as civilizações, discorrendo essencialmente sobre Cabo Verde que é um país de emigração e cada vez mais de imigração com uma grande diáspora.

“No mundo de hoje este fórum global da aliança das civilizações promove a paz, a tolerância, o respeito e o diálogo que é cada vez mais importante”, vincou o governante.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest