Governo pede tolerância zero contra qualquer tipo de violação dos direitos das crianças

O ministro da Família e da Inclusão Social apelou hoje à sociedade cabo-verdiana, na cidade Praia, para estar vigilante e adotar uma postura de tolerância zero contra qualquer tipo de violação dos direitos das crianças.

Fernando Elísio Freire falava aos jornalistas à margem da marcha promovida pelo Governo e pelo Instituto Cabo-verdiano da Criança e Adolescente (ICCA), no âmbito do Dia Internacional da Criança, sob o lema “Proteger as crianças é a responsabilidade de todos nós” para “sensibilizar e despertar” a população para a causa dos direitos das crianças.

O ministro enfatizou a importância de garantir que todos os direitos das crianças sejam respeitados, incluindo o direito ao nome, à educação, à saúde, à alimentação e a um lar, além do direito de estarem inseridas na sociedade e de serem crianças.

“O que devemos trabalhar todos os dias é permitir que as crianças sejam crianças. É isso que eu apelo à sociedade de Cabo Verde: estarmos juntos, vigilantes, onde pode haver qualquer tipo de violação dos direitos das crianças, e agir. Tolerância zero contra qualquer tipo de violação dos direitos da criança, principalmente violação sexual e falta de cuidados”, afirmou o governante.

Fernando Elísio Freire destacou também as responsabilidades dos familiares na garantia dos direitos das crianças.

“Apelo aos pais para garantir que eles também cumpram e se responsabilizem pela garantia desses direitos. Devemos estar conscientes de que, quando a família não assume suas responsabilidades, não devemos nunca passar essas responsabilidades para as entidades locais ou nacionais. Devemos responsabilizá-las e criar as condições para que todas as famílias cumpram seu papel”, acrescentou.

Por seu lado, a presidente do Instituto Cabo-verdiano da Criança e Adolescente (ICCA), Zaida Freitas, ressaltou a necessidade de chamar a atenção da sociedade sobre a importância da proteção dos direitos das crianças.

“Neste momento, todas as localidades estão nas ruas, fazendo barulho para conscientizar a sociedade cabo-verdiana sobre a necessidade de protegermos nossas crianças”, frisou Zaida Freitas, para quem a maior preocupação é a violação sexual contra crianças.

“Temos várias preocupações, mas esta é a maior de todas, não só pela sua prevalência, mas também pelo impacto negativo que tem na vida das crianças e de toda a sociedade”, vincou a presidente do ICCA.

A marcha foi associada à campanha “Proteja”, recentemente lançada pelo ICCA, com o objectivo de mobilizar toda a sociedade cabo-verdiana para proteger os direitos das crianças e adolescentes.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest